Televisão

“1986”: como vai ser a nova série revivalista de Nuno Markl na RTP

A estreia está marcada para a noite desta terça-feira, 13 de março. A NiT conta-lhe tudo sobre estas personagens.

Há góticos, metaleiros e nerds na história.

É já esta noite — de terça-feira, 13 de março — que chega à televisão a muito esperada série criada por Nuno Markl, “1986”. Basta ligar a RTP1 às 22 horas para conhecer a produção revivalista idealizada pelo humorista.

Parece óbvio que Markl se inspirou nas referências nostálgicas de séries modernas de sucesso, como “Stranger Things”, mas as comédias adolescentes que Portugal nunca teve, como “The Breakfast Club” ou “A Rapariga do Vestido Cor-de-Rosa”, também se refletem em “1986”.

O cenário é Lisboa e o contexto são as renhidas eleições presidenciais de fevereiro de 1986, o ano em que Portugal entra na CEE. De um lado estava Mário Soares, do outro Diogo Freitas do Amaral. A esquerda une-se para derrotar o candidato da direita, e os militantes do PCP vão ter de fechar os olhos quando colocarem a cruz no boletim de voto em Soares.

No meio de tudo isto, acontece uma história de amor passada num liceu da cidade. Tiago é um jovem solitário, viciado em filmes que aluga no videoclube do bairro. O seu pai, viúvo, é um militante comunista e fanático por cinema.

Tiago apaixona-se por Marta, uma betinha da escola — cujos pais são fervorosos militantes do CDS de Freitas do Amaral — que é mais do que parece à primeira vista. Estamos prestes a recordar a adolescência em Portugal nos anos 80, dos videojogos à música, passando pelo cinema e pelas tribos urbanas na escola.

Ao todo, são 13 episódios, que deverão estar todos disponíveis no RTP Play logo a seguir à estreia, ao estilo da Netflix. Na televisão, vai ser transmitido um episódio todas as semanas.

Recorde-se que vai existir um espetáculo solidário com os músicos que participam na banda sonora da série na Altice Arena, a 17 de maio.

Carregue na galeria para saber mais sobre as personagens de “1986”.