NiTfm live

Teatro e exposições

Vai haver um novo museu em Amarante — projetado por Siza Vieira

Irá ocupar o espaço do Solar dos Magalhães, um dos edifícios mais importantes do concelho.

As ruínas estão assim desde 1809.

Em 1809, durante as invasões francesas, um incêndio destruiu o Solar dos Magalhães, um dos edifícios mais importantes do concelho de Amarante. Desde essa altura que é um símbolo da resistência aos invasores e, ao contrário da maioria das casas afetadas, nunca foi reconstruído e as suas ruínas estão assim há décadas.

Agora, o Solar dos Magalhães vai tornar-se num museu municipal, a Casa da Memória, que terá um espaço de exposição de mais de mil metros quadrados.

Os grandes temas serão precisamente as invasões francesas, os mosteiros daquela zona, as personalidades ligadas ao concelho, como Amadeo de Souza Cardoso ou Teixeira de Pascoaes, e a vida de São Gonçalo em Amarante.

Estão a ser feitos trabalhos arqueológicos no local, para se perceber se existem peças e património enterrado naquela estrutura construída no século XVIII. Será Álvaro Siza Vieira o arquiteto responsável pelo projeto, uma vez que no final dos anos 90 já tinha estudado uma proposta para o Solar dos Magalhães. O espaço iria tornar-se a sede da Fundação Afonso Henriques, mas nunca chegou a avançar.

O concurso público para as obras do novo projeto deverá avançar ainda este ano. O investimento será de cerca de três milhões de euros, comparticipado por fundos europeus. A ideia é que o museu possa abrir antes do final do mandato da autarquia.

Para Amarante está ainda prevista a remodelação do mercado municipal e da Alameda Teixeira de Pascoaes, além de uma intervenção nas margens do rio Tâmega.