NiTfm live

cultura

Ibirapi: a nova galeria de arte de Lisboa fica no Beato

Vai receber exposições de pintura, escultura, desenho ou fotografia.

(c) Orientre

O nome Ibirapi vem da árvore pau-Brasil, que, no idioma indígena tupi, se diz ibirapitá ou ibirapitanga. É também o nome da nova galeria de arte contemporânea de Lisboa, que fica no Beato e foi inaugurada a 22 de fevereiro.

Ocupa um antigo armazém de 65 metros quadrados, como tantos outros na zona oriental da cidade, e recebe exposições de pintura, escultura, desenho ou fotografia, entre outras expressões, de artistas portugueses e internacionais. “Não interessa tanto o formato”, explica à NiT o dono da Ibirapi Contemporânea, Maxime Porto, luso-descendente nascido em França.

O mais importante são as temáticas. “Centra-se em trabalhos que se debruçam sobre dois conceitos: ou a ecologia e o respeito pela natureza, ou as questões da identidade, da cultura, das tradições.”

Desde 5 de abril que se encontram por lá as pinturas de António Faria, na exposição “Komorebi”. Retratam paisagens mentais inspiradas na região de Sintra, em que a luz é um elemento vital. Pode ser visitada até 12 de maio.

Maxime Porto estudou História da Arte na Universidade de Tours, fez um Erasmus em Coimbra, e tirou um curso sobre o Mercado da Arte na École du Louvre, em Paris. Trabalhou no próprio Louvre, no Museu de Arte do Rio de Janeiro e em leiloeiras famosas como a Sotheby’s. Depois de algum tempo a trabalhar numa galeria de arte contemporânea em Paris, decidiu abrir o próprio espaço em Portugal, o país dos seus pais, que são naturais de Caminha. Fizeram parte da vaga de imigrantes dos anos 60.

(c) Orientre

“Abri [a galeria] com muita vontade e coragem. A galeria onde estava a trabalhar foi reorganizada e decidi abrir o meu próprio negócio. Pensei logo em Lisboa, que está a crescer no mercado da arte.”

O galerista não considera que o facto de haver menos colecionadores seja um problema. “Há menos colecionadores, mas existem coleções privadas cada vez mais importantes e uma grande produção artística.”

Mudou-se para Lisboa em junho e demorou apenas algumas semanas a encontrar este espaço, só que foram necessárias obras para transformar o armazém numa galeria. “Assim que entrei, foi logo escolhido. A luz natural daqui é muito importante e esta zona da cidade tem estes armazéns muito específicos.”

A galeria vai estar representada na nova feira de arte da cidade, a JustLX, que acontece entre 17 e 20 de maio.

localização, contactos e horários

morada
  • Ibirapi Contemporânea [ver mapa]
    Calçada Duque de Lafões, 74, Lisboa
    1950-102 Lisboa - Portugal
    localizações
    Lisboa, Marvilla