NiTfm live

Cinema

Shia LaBeouf vai passar um mês fechado numa cabana

A experiência é uma das atrações de um museu na Finlândia. O ator só pode comunicar através de mensagens.

Depois de usar um saco de papel na cara na estreia de “Ninfomaníaca“, no festival de Berlim (2014), e de se fechar numa sala de cinema de Nova Iorque durante três dias a ver apenas filmes seus, Shia LaBeouf vai ficar exilado numa cabana até ao final de abril. A experiência acontece num museu de Helsínquia, Finlândia, e a comunicação com o exterior faz-se apenas através de mensagens.

O projeto #ALONETOGETHER conta com Nastja Rönkkö e Luke Turner, dois amigos do ator, que estão também fechados em cabanas diferentes — em fevereiro de 2016, os três já se tinham fechado num elevador durante 24 horas. 

Os visitantes podem também visitar cabines idênticas para perceberem o que LaBeouf sente e deixar-lhe mensagens. O museu disponibiliza ainda um stream, que vai sendo atualizado em tempo real, para acompanhar a experiência.

Segundo o jornal “The Guardian“, este projeto surge apenas alguns dias depois de um ataque cibernético ao site He Will Not Divide Us, do ator norte-americano. A campanha política contra Donald Trump — onde o ator repete as palavras “He Will Not Divide Us” — começou em janeiro um pouco por todo o mundo e já foi abolida em Nova Iorque, Novo México e Liverpool.