NiTfm live

Música

Toy: “Eu escrevi a música do ‘Buéréré’”

Ana Malhou ensinou-nos que tudo “começou no A” mas poucos sabem a origem do tema. O cantor vai acabar 2018 com um roast.
Só pode responder às provocações no fim do roast.

Toy vai ser gozado “toda a noite, toda a noite”. Pedimos desculpa por esta piada tão previsível e desnecessária mas alguém tinha de fazê-la porque, de facto, é o que vai acontecer. Está quinta-feira, 13 de dezembro, o cantor é a figura central de um roast no Campo Pequeno (e ainda há bilhetes). Ou seja, vai ter vários convidados, como  Jel, Rui Sinel de Cordes, Pedro Chagas Freitas ou Joana Amaral Dias, a fazerem piadas sobre ele.

Quando aceitou o convite, Toy nem sabia bem o que era um roast mas jura à NiT que também não quer ver nenhum para que as suas reações sejam genuínas.

Assim termina um ano louco na vida do cantor de 55 anos que com “Coração Não Tem Idade (Vou Beijar)”, o sucesso do verão de 2018, se transformou numa estrela muito além dos fiéis fãs de música romântica que já tinha.

Os miúdos de cinco ou seis anos sabem a canção de cor e nem sequer são do tempo do “Buéréré”. O que é que esta referência faz aqui? Tudo. É que aquela célebre “sabes que começou no A, A A A”, que todos os que cresceram nos anos 90 ainda cantam, tem letra e música de Toy. Ele, que andou com Ana Malhoa “ao colo”, garante que percebeu muito cedo que ela seria apresentadora de televisão.

O que também consegue prever são os temas que esta quinta-feira, às 22 horas, serão usados para picá-lo mas está “pronto para brincar”, promete.

Leia a entrevista e veja também o vídeo em que Toy lê love tweets.

Porque é que decidiu aceitar ser o alvo deste roast?

Eu não sabia o que era, nunca tinha visto. Com esta vida, não temos tempo. Fiquei logo interessado por ser uma coisa que desconhecia e não quero ver nada porque quero ser autêntico.

Que temas é que acha que vão servir para atacá-lo?

Já fiz muitas coisas que perante a sociedade não são muito bem vistas, penso que será por aí. Como a história de conduzir com o joelho ou de ter tido um passado ligado a muitas mulheres embora tenha sido um homem casado, com filhos.