NiTfm live

Música

Tiago Nacarato: “Não esperava ter uma explosão tão grande depois do ‘The Voice’”

A NiT entrevistou o músico que brilhou no programa da RTP há dois anos e que se prepara agora para lançar o álbum de estreia.
O músico portuense vai ter uma tour no Brasil.

Foi em setembro de 2017 que Portugal ficou a conhecer Tiago Nacarato. Já tinham soado alguns acordes da guitarra mas, assim que lhe saíram as primeiras palavras da boca, as cadeiras de três jurados do “The Voice Portugal” viraram-se instantaneamente e ao mesmo tempo para ver o músico. 

Tinham passado exatamente 20 segundos desde o início de “Onde Anda Você”, de Vinicius de Moraes e Toquinho, o suficiente para que todos — após Mickael Carreira, Marisa Liz, Aurea, também Anselmo Ralph carregou no famoso botão vermelho — soubessem que queriam trabalhar com ele.

Tiago Nacarato acabou por não vencer essa edição do programa da RTP, mas foi o suficiente para projetar a sua carreira. Desde essa altura que não tem parado de dar concertos de norte a sul do País — num alinhamento que mistura temas originais e covers, e que já o tornou popular no Brasil.

Nacarato, claro, tem um grande ligação com o país da América do Sul. Apesar de ter nascido e crescido no Porto, os seus pais são brasileiros e sempre ouviu imensa música brasileira em casa.

Neste momento, o músico está a preparar o seu primeiro álbum, que poderá sair já durante este mês de setembro. Antes, Tiago Nacarato vai atuar esta quinta-feira, dia 5, no Festival F, em Faro. Leia a entrevista da NiT.

Tornou-se mais conhecido quando participou em “The Voice Portugal”, mas já vai algum tempo. Entretanto começou uma carreira de sucesso, com muitos concertos em todo o País. Era isto que esperava depois do impacto que teve no programa da RTP?
É um pergunta difícil, porque é um processo em construção. Ou seja, aquilo aconteceu, mas antes eu já tinha contacto com alguns músicos importantes — alguns dos quais eram da minha agência. Mas, para ser sincero, não esperava assim uma explosão como foi. Não pensava sequer que ia chegar ao Brasil com tanta força. 

Mas tinha noção de que o “The Voice Portugal” lhe ia dar uma projeção assim tão grande?
Sim, acreditava que a televisão fosse um meio de comunicação muito forte na nossa sociedade — e por isso acreditava que as pessoas, por curiosidade, fossem aos concertos. Mas assim com uma continuidade tão grande… datas esgotadas, tanto cá como no Brasil, isso não. Já lá vão dois anos. Tem sido muito bom, o público tem-me recebido muito bem, com casas muito cheias. Além de ter muita atenção, com a nomeação para o Globo de Ouro, ou por passar na rádio. Isso tudo tem sido uma surpresa grande para mim.

Tem mudado muito a sua vida no dia a dia?
No início, por ainda estar fresco na memória geral das pessoas… Gostem ou não, elas reconhecem-te porque apareceste na televisão. E isso interferia na minha vida quotidiana, porque andava na rua e era constantemente interrompido para tirar fotos, para conversar, enfim. Mas à medida que foi passando e as pessoas se foram esquecendo, o quotidiano agora já é o mesmo que antes. Claro que ainda há pessoas que me reconhecem, mas são menos.

Nas últimas semanas deste mês de setembro vai ter uma tour no Brasil. Obviamente que o Tiago tem uma ligação muito especial e pessoal com o Brasil. Por isso é que também era importante para si fazer lá carreira?
Acho que não só para mim. Claro que há esse lado poético de os meus pais serem brasileiros e de eu absorver muito da arte deles, tanto da música como do cinema. Mas acho que para qualquer músico é importante entrar num mercado com tanta gente, com tantos consumidores. Esse, sim, é o grande passo. Acho que Portugal tem muita qualidade na música que faz, e temos de começar a juntar-nos para arrancar com força lá para fora. Não podemos ficar só aqui, em Portugal.