Música

No Rock in Rio deste ano muda tudo, até o tamanho do slide: 180 metros

Também há espaços para famílias e é possível passear por 180 mil metros quadrados da Bela Vista. Os engenheiros contaram as novidades à NiT.

Eurico João e Andreia Peres não podem mostrar a planta, ainda há muitas novidades por anunciar.

24 de setembro de 2017. Exatamente no mesmo dia em que as portas da sétima edição do Rock in Rio no Brasil fecharam, fez-se a primeira reunião para preparar o regresso a Portugal. Este ano tudo muda, desde as datas do festival ao tamanho do slide. “Para que as pessoas percebam que está mesmo tudo diferente, até o local das casas de banho trocámos”, explica à NiT Ricardo Acto, vice-presidente de operações.

Ele já está instalado na Bela Vista, em Lisboa, assim como as equipas de engenharia e arquitetura. A três meses e meio do evento (que passa do final de maio para os dois últimos fins de semana de junho, dias 23, 24 e 29 e 30), as principais alterações estão definidas mas a planta geral está sempre a mudar.

Assim que o público passar a estrutura azul que delimita a entrada, vai reparar logo que o palco mundo está diferente. As placas metálicas que fazem o cenário passam agora a ser brancas — a novidade foi apresentada no Rio de Janeiro mas seguiu tudo de Portugal, onde a estrutura é construída — e a área cresce ligeiramente. Ainda assim, as principais mudanças serão notadas por quem trabalha nos bastidores.

“Há mais uniformidade, as áreas técnicas estão mais arrumadas e a capacidade de carga na cobertura quase triplicou”, conta Eurico João, coordenador de engenharia.

Isto significa que agora o festival está sempre preparado para a logística de bandas gigantescas, como Rolling Stones, e já não tem de fazer cálculos para perceber se a estrutura aguenta.

O Music Valley é um conceito completamente novo e fica na ponta oposta do parque, onde em 2016 estava a tenda eletrónica. A piscina, construída nessa altura, é reaproveitada e incluída no mesmo espaço.

As pool parties acontecem durante o dia, seguem-se concertos exclusivamente em português (Carolina Deslandes, Carlão, Manel Cruz ou Blaya) e música eletrónica. Além disso, 29 de junho terá também Revenge of the 90’s, as festas mais cobiçadas dos últimos tempos.

“Em outubro decidimos que queríamos que o palco tivesse duas vertentes, uma à tarde e outra à noite. A partir daí fomos construindo o conceito devagarinho”, conta Andreia Peres, arquiteta.

As portas abrem mais cedo, às 12 horas

No terreno ainda não são visíveis as mudanças — o primeiro palco a ser montado é o mundo, a 1 de abril, e o espaço já está a ser preparado — mas tudo à volta vai mudar. Mesmo ao lado, onde antes era uma zona de serviço, vai ficar um espaço com carvalhos e sombras de outras árvores para descansar.

Isto é possível porque a área útil do Rock in Rio cresce em 2018. “Dos 220 mil metros quadrados do parque, passamos a ocupar 180 mil”, diz Ricardo Acto. Até aqui eram 160 mil — no Rio de Janeiro, na última edição, foram 300 mil.

O evento recebe cada vez mais famílias e, por isso, é preciso pensar em soluções de conforto. “Não é só terra, pó e cerveja. Teremos mais sombras, melhores casas de banho e melhor sinalização”, explica Acto, que coordena também o CCO (Centro de Controlo de Operações).

É nesta sala que se vê absolutamente tudo o que se passa através de câmaras de vigilância, desde um roubo a uma falha de Internet, passando por uma inundação. A segurança é uma das maiores preocupações de um evento que chega a receber 90 mil pessoas por dia.

Este ano, com todos os conceitos criados do zero — “porque chega um momento em que temos de repensar as coisas para inovar” —, também a mobilidade teve de voltar a ser analisada. As entradas e saídas estão reorganizadas, há saídas de emergência nas laterais do palco mundo e outras opções prontas a colocar em prática em caso de existir o mínimo problema. Ainda assim, já durante o evento brasileiro Ricardo Acto tinha reconhecido que o dia a dia em Portugal é “mais tranquilo” e o “público mais ordeiro”. 

localização, contactos e horários

morada
  • Parque da Bela Vista — Recinto Rock in Rio [ver mapa]
    Avenida Dr. Arlindo Vicente, 406, Lisboa
    1950-000 Lisboa - Portugal
    localização
    Lisboa