Música

Na Surra: as novas festas de música eletrónica do Cais do Sodré

Vão acontecer todos os meses e são organizadas pela Enchufada, editora liderada por Branko, dos Buraka Som Sistema.

A multidão a ouvir as batidas da Enchufada no Festival Iminente.

O B.Leza, no Cais do Sodré, em Lisboa, é a nova casa das festas da música eletrónica global — com influências de sonoridades africanas ou latinas — da Enchufada, editora independente liderada por Branko, dos Buraka Som Sistema.

Chama-se Na Surra e a primeira — vai haver uma todos os meses — é já esta quinta-feira, 15 de fevereiro, entre as 22 horas e as quatro horas da manhã.

É a fusão entre a De Surra, curadoria no Copenhagen, do outro lado do Cais do Sodré; e as Hard Ass Sessions, que há sete anos animam as pistas do Lux. A primeira festa vai ter Branko e os não menos talentosos Rastronaut, Pedro e Progressivu.

Basta inscrever-se no evento para a entrada ser grátis até à meia-noite. Se se inscrever e só for mais tarde, paga 7,50€; e caso não se inscreva de todo, são 10€. Atenção que o B.Leza não tem multibanco.

Esta não é a única novidade da parte do produtor e DJ português. Branko vai estrear na RTP2 a série documental “Club Atlas” a 19 de fevereiro, pelas 00h45. No ano passado, o músico esteve a viajar pelo mundo, com o realizador João Pedro Moreira, e a descobrir algumas das cidade mais criativas na rota global da música eletrónica.

O primeiro episódio é sobre Lisboa, mas Branko vai mostrar quem são os novos talentos de cidades como Lima, no Peru; Montreal, no Canadá; Bombaim, na Índia; São Paulo, no Brasil; entre outras.

Depois da estreia de Na Surra, Branko vai começar uma tour europeia com Pedro: vão passar por capitais como Paris, em França; Amesterdão, na Holanda; Berlim, na Alemanha; Londres, no Reino Unido; ou Madrid, em Espanha; entre outras.