NiTfm live

Música

Indiegente Live: o festival de rock com concertos inéditos volta a ocupar Lisboa

22 anos depois da estreia do programa de rádio, Nuno Calado volta a fazer um evento especial com cruzamentos inéditos.
The Parkinsons vão tocar com Rui Possidónio.

Há 22 anos que Nuno Calado faz o programa “Indiegente” na Antena 3. No ano passado, para celebrar o aniversário, começou o Indiegente Live — uma noite (quase) sem interrupções de concertos inéditos em que vários músicos portugueses colaboram ao vivo pela primeira vez. A segunda edição do evento acontece este sábado, 19 de outubro.

O Lisboa ao Vivo, em Marvila, vai ser o grande palco para esta grande celebração. Bizarra Locomotiva, The Parkinsons, Anarchicks, Vaiapraia, Dirty Coal Train, Rui Maia, Nancy Knox e Algumacena são alguns dos que irão atuar nesta noite especial.

“Queria ter a mesma vibe do ano passado, mas arriscar um pouco mais, com artistas não tão conhecidos. No fundo também é o que eu faço no programa”, conta Nuno Calado à NiT. 

Os cruzamentos inéditos entre artistas tornaram-se uma das grandes imagens de marca do Indiegente Live — os músicos vão colaborando em palco em momentos mais ou menos espontâneos, apesar de o alinhamento estar bem definido.

Este ano, o evento vai receber a estreia do projeto Knot3, que vai juntar Selma Uamusse e Toni Fortuna. “A ideia nasceu depois de uma conversa que tivemos à porta do Coliseu dos Recreios no concerto dos Dead Combo. Eles disseram que estavam a pensar em fazer este projeto, algo próximo dos The Kills, mas, claro, com a identidade muito própria da Selma Uamusse e do Toni Fortuna.”

As Anarchicks vão tocar com Rui Maia, e os The Parkinsons vão atuar com Rui Sidónio dos Bizarra Locomotiva — são outros exemplos de colaborações inéditas (e possivelmente irrepetíveis).

Nos momentos de intervalos entre concertos, o radialista Paulo Lázaro irá ler letras de canções icónicas, num projeto chamado Indie das Letras. “A palavra dita tem feito cada vez mais parte do Indiegente e por isso fazia sentido tê-la aqui também.”

Este espetáculo “com um espírito bastante do it yourself”, como descreve Nuno Calado, vai ter vários convidados surpresa. “No fundo é celebrar a vida e o amor. Gosto de todos os artistas musicalmente mas também como pessoas.”

Pensando no futuro, Nuno Calado diz que gostaria de fazer mais edições, possivelmente até noutras cidades, como o Porto ou Leiria — onde o Indiegente tem sido mais chamado. “Era interessante porque daria para ter concertos de bandas locais de que gosto, e teria também o gosto de descentralizar.”

O Indiegente Live arranca pelas 22 horas neste sábado e prolonga-se até à uma hora da manhã. Ainda há bilhetes à venda por 15€, sendo que no próprio dia custam 20€.