NiTfm live

Música

Grammys: Kacey Musgraves e Childish Gambino foram os grandes vencedores

A cantora country levou para casa a estatueta “Álbum do Ano”; e o rapper venceu em quatro categorias.
Kacey Musgraves.

Esperava-se uma noite grandiosa para este domingo, 10 de fevereiro. O Staples Center, em Los Angeles, estava cheio para receber a 61.ª edição dos Grammy Awards, a cerimónia que também é conhecida como os “Óscares da Música”. A apresentação estava a cargo da premiada Alicia Keys. 

Embora nomes como Kendrick Lamar e Drake estivessem na corrida para ganhar o “Melhor Álbum do Ano”, foi a cantora de country-pop Kacey Musgraves (com “Golden Hour”) a grande vencedora da noite. 

Além deste prémio, Kacey Musgraves venceu Grammys para “Melhor Álbum Country”, “Melhor Performance Country a Solo” (pelo tema “Butterflies”) e “Melhor Canção Country” com “Space Cowboy”.

O rapper Childish Gambino não esteve presente na cerimónia, porém, recebeu as estatuetas de “Melhor Música”; “Melhor Gravação”; “Melhor Canção Rap/Cantada”; e “Melhor Vídeo Musical”, com o álbum “This is America”, 

Dua Lipa foi outra das cantoras mais aplaudidas, depois de ter ganho o Grammy de “Artista Revelação”. Lady Gaga venceu três prémios, inclusive o de “Melhor Performance Pop”, por “Shallow”. 

Veja, a seguir, a lista completa de vencedores.

Álbum do Ano: “Golden hour”, de Kacey Musgraves;
Gravação do Ano: “This is America”, de Childish Gambino;
Melhor Canção: “This is America”, de Childish Gambino;
Revelação: Dua Lipa;
Melhor Performance Pop de Duo ou Grupo: Lady Gaga e Bradley Cooper, em “Shallow”;
Melhor Disco de Country: “Golden hour”, de Kacey Musgraves;
Melhor Música de Rap: “God’s plan”, de Drake;
Melhor Disco de R&B: “Her”, de H.E.R.;
Melhor Disco de Rap: “Invasion of privacy”, de Cardi B;
Melhor Álbum de Comédia: “Equanimity & The Bird Revelation”, de Dave Chapelle;
Melhor Álbum de Teatro Musical: “The Band’s Visit”, de The Band’s Visit;
Melhor Álbum de Música Alternativa: “Colors”, de Beck;
Melhor Composição Instrumental: “Blut und boden (Blood and soil)”, de Terence Blanchard;
Melhor Engenharia de Som de Álbum Não-Clássico: “Colors”, de Beck;
Melhor Álbum Instrumental Pop: “Steve Gadd Band”, de Steve Gadd;
Melhor Compilação de Banda Sonora para Audiovisual: “The greatest showman”, de “O rei do show”;
Melhor Banda Sonora para Audiovisual: “Pantera Negra”; Ludwig Goransson (compositor);
Melhor Canção Composta para Audiovisual: “Shallow” – Lady Gaga, Mark Ronson, Anthony Rossomando e Andrew Wyatt;
Melhor Álbum Folk: “All ashore”; de Punch Brothers;
Melhor Álbum de Pop Latino: “Sincera”, de Claudia Brant;
Melhor Videoclipe: “This is America”, de Childish Gambino;
Melhor Vídeo Musical Longo: “Quincy”, de Quincy Jones, Alan Hicks e Rashida Jones;
Melhor Performance Solo de Pop: “Joanne (Where do you think you’re goin’?)” – Lady Gaga;
Melhor Álbum Pop Vocal: “Sweetener”, de Ariana Grande;
Melhor Gravação Dance: “Electricity”, de SilkCity e Dua Lipa (com participação de Diplo);
Melhor Performance de Rock: “When bad does good”, de Chris Cornell (prémio póstumo);
Melhor Álbum de Rock: “From the fires”, de Greta Van Fleet;
Melhor Canção de Rock: “Masseduction”, de St. Vincent (compositores: Jack Antonoff e Annie Clark);
Melhor Performance de Rap: “King’s dead”, de Kendrick Lamar, Jay Rock, Future e James Blake; “Bubblin” – Anderson Paak;
Produtor do Ano, Não-Clássico: Pharrell Williams.

Na mesma noite foram entregues os prémios dos BAFTA.