Música

Família de Chris Cornell diz que medicação para a ansiedade pode ter causado suicídio

Músico terá tomado uma dose extra de Ativan, um medicamento para a ansiedade cheio de efeitos secundários. A mulher, Vicky, reparou que ele estava “diferente e a arrastar as palavras” após o último concerto.

Chris e Vicky Cornell estavam casados há 13 anos

A confirmação de que a morte de Chris Cornell tinha sido um “suicídio por enforcamento” foi dada pela polícia mas esta sexta-feira, 19 de maio, a mulher do músico, Vicky Cornell, emitiu um comunicado onde levanta algumas dúvidas.

Após o último concerto em Detroit, na quarta-feira, 17, os dois falaram ao telefone e alguma coisa não soou bem.

Notei que ele estava a arrastar as palavras, estava diferente. Quando me disse que tinha tomado um ou dois Ativan extra, contactei a segurança e pedi que fossem ver como ele estava. […] O que aconteceu é inexplicável e espero que os relatórios médicos dêem mais detalhes. Sei que ele amava os nossos filhos e não os magoaria ao tirar a própria vida intencionalmente”, garante num texto enviado às redações.

Ativan é um medicamento para a ansiedade usado geralmente por viciados em recuperação e o advogado da família, Kirk Pasich, também já alertou para a possibilidade de uma dosagem maior poder alterar o estado mental de alguém. Acrescentou ainda que a família está “perturbada com as insinuações de Chris ter voluntária e intencionalmente tirado a própria vida”.

“A família acredita que, se o Chris se suicidou, não sabia o que estava a fazer e drogas ou outras substâncias podem ter afetado as suas ações”, disse o advogado, que referiu também os efeitos secundários do Ativan: “Pensamentos paranóicos ou suicidas, discurso arrastado e julgamento alterado.”

Ainda no mesmo texto, Vicky contou que nos últimos dias Chris Cornell tinha feito questão de estar o máximo possível com ela e os filhos. “Viajou para casa no Dia da Mãe para passar tempo com a nossa família. Foi embora a meio de quarta-feira, dia do concerto, depois de passar tempo com as crianças. Quando falámos antes do espetáculo, discutimos planos para as férias do Memorial Day e outras coisas que queríamos fazer.”

O cantor atuou com os Soundgarden no Fox Theatre, em Detroit. Horas depois foi encontrado no chão da casa de banho do quarto de hotel que ocupava no MGM Grand Detroit inanimado. O óbito do músico de 52 anos foi declarado no local.

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo