Música

Há fado para ouvir no Príncipe Real e os concertos são quase secretos

Empresas Eastbanc e Fados Fora de Portas escolheram locais inusitados para atuações intimistas. Há três por semana.

Fotos de Catarina Henriques.

Pavilhão Chinês, Embaixada e Reservatório da Patriarcal. Todos muito diferentes, todos no Príncipe Real. Foram estes os locais inusitados escolhidos para concertos de fado, uma iniciativa das empresas Eastbanc e Fados Fora de Portas.

A Real Fado, assim se chama a ideia, começou por ser pensada apenas para os meses de verão mas tem funcionado tão bem que vai prolongar-se “pelo menos até ao final do ano”, explica à NiT Joana Esparteiro, da Fados Fora de Portas.

Tudo começou na Eastbanc, uma imobiliária também muito focada na revitalização. Catarina Lopes, a responsável, escolheu o Príncipe Real para fazer concertos de fado em locais bem definidos. Pediu então ajuda a Fados Fora de Portas para criar conceitos diferentes para cada um deles.

Habituada sobretudo a organizar espetáculos em casamentos e congressos, Joana Espadeiro ficou fascinada com o desafio.

“O Pavilhão Chinês é um bar icónico e tem um ambiente intimista, por isso fazia sentido o fado tradicional; a Embaixada é um palacete do século XIX transformado em espaço comercial, é contemporâneo e nasceu assim o timeless fado, onde temos duas gerações de fadistas, um mais velho e uma nova voz.”

Isto acontece numa cisterna subterrânea.

O local mais surpreendente é, provavelmente, o Reservatório, uma cisterna subterrânea à qual se chega através de umas escadas no meio do jardim do Príncipe Real. “Quando as pessoas chegam lá abaixo, ficam deslumbradas. É o único espaço onde temos outra sonoridade além do fado.”

Tudo foi desenvolvido e posto em prática em julho. No início quase todos os espectadores eram turistas mas essa tendência tem vindo a mudar, com muitos lisboetas a procurarem cada vez mais os eventos.

Mais do que um concerto, a Real Fado, quer proporcionar uma experiência, explica Joana Esparteiro. Por isso, os concertos são sempre intimistas e prolongam o momento para lá da música.

Os bilhetes custam 20€, estão à venda na Ticketline e incluem um gin tónico na Embaixada e um copo de vinho nos outros dois espaços. No primeiro local, as atuações acontecem todos os domingos entre as 20 horas e as 21 horas. Nos seguintes são das 19 horas às 20 horas e às terças-feiras no Pavilhão Chinês e sextas no Reservatório. 

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo