NiTfm live

Música

7 concertos imperdíveis para ver no Super Bock em Stock

O festival que acontece em várias salas da Avenida da Liberdade está de volta para mais uma edição — arranca esta sexta-feira.
Michael Kiwanuka é um dos nomes em destaque.

Há um ano que o Super Bock em Stock recuperou o nome — depois de várias edições como Vodafone Mexefest — mas a identidade mantém-se: concertos de vários géneros musicais, com nomes maiores e outros emergentes, em várias salas na zona da Avenida da Liberdade e Praça dos Restauradores, em Lisboa.

Esta sexta-feira e sábado, 22 e 23 de novembro, arranca mais uma edição do evento. O Coliseu dos Recreios, Teatro Tivoli BBVA, Cinema São Jorge, Capitólio, Maxime, Garagem EPAL, Casa do Alentejo, Palácio da Independência e a Estação Ferroviária do Rossio são os palcos da nova edição.

Ainda há bilhetes à venda, que dão acesso aos dois dias de Super Bock em Stock. Estão disponíveis por 50€ e podem ser comprados online. Se gostava de passar pelo festival, mas perdeu-se no meio de tantos nomes, a NiT preparou um guia especial com os sete concertos imperdíveis desta edição.

Michael Kiwanuka (Dia 22, 22h, Coliseu dos Recreios)

O maior cabeça de cartaz do primeiro dia de festival é Michael Kiwanuka, cantor e compositor britânico que tem marcado a década — lançou o primeiro álbum em 2012 — com sonoridades indie e folk. Não perca temas como “Cold Little Heart”, “Home Again” ou “Black Man In a White World”.

Luís Severo (Dia 22, 20h10, Teatro Tivoli BBVA)

Um dos músicos portugueses mais entusiasmantes da nova geração — mesmo que já ande por cá há alguns anos — é Luís Severo. O cantor e compositor lançou em maio deste ano “O Sol Voltou”, mais um registo discográfico que compõe a sua já considerável discografia. É uma das atuações obrigatórias para este dia de festival.

Sinkane (Dia 22, 20h30, Coliseu dos Recreios)

Nascido em Londres, com origens sudanesas, e após ter crescido nos EUA, Sinkane é o resultado de um autêntico caldeirão multicultural — algo que se reflete na sua música, onde tanto há pop como jazz, eletrónica ou rock. Música de fusão e de autor para ouvir já esta sexta-feira no Coliseu dos Recreios.

Slow J (Dia 23, 22h30, Coliseu dos Recreios)

Na mesma sala, mas no dia seguinte, não perca o espetáculo em que Slow J vai apresentar “You Are Forgiven”, o seu segundo álbum, que foi lançado de surpresa há pouco tempo e que foi diretamente para a lista dos melhores do ano. Este rapper-cantor-produtor não se limita a géneros musicais e criou mais uma grande obra — que os fãs vão poder ouvir pela primeira vez ao vivo neste sábado.

Josh Rouse (Dia 23, 22h40, Teatro Tivoli BBVA)

A última confirmação para esta edição do festival foi Josh Rouse. O músico começou a carreira em 1998 e tem inúmeros álbuns no currículo. O mais recente, editado este ano, é “The Holiday Sounds of Josh Rouse”, um disco bastante natalício. No concerto não vão faltar temas como “Flight Attendant” ou “Come Back (Light Therapy)”.

Curtis Harding (Dia 23, 21h, Coliseu dos Recreios)

Para os fãs de soul e música negra americana no geral, não percam o concerto que Curtis Harding vai dar no Coliseu dos Recreios, a maior sala do Super Bock em Stock. É um nome da nova geração mas que carrega na voz toda a tradição associada a este género musical. “Keep On Shining” ou “Need Your Love” serão singles para a plateia cantar em conjunto com o cantor de 40 anos.

Viagra Boys (Dia 23, 23h45, Estação do Rossio)

Diretamente de Estocolmo, na Suécia, os Viagra Boys vêm apresentar à Estação Ferroviária do Rossio — o palco está instalado junto da saída superior — o seu post-punk. No currículo têm apenas um álbum, “Street Worms”, editado no ano passado, mas antes já tinham temas de projetos mais pequenos.