NiTfm live

Livros

Prémio LeYa não será atribuído este ano devido a falta de “qualidade literária”

É já a terceira vez que o júri decide não entregar o galardão onde estão incluídos cem mil euros.
Procura-se escritores.

Esta terça-feira, 29 de outubro, foi feito um anúncio sobre o grande vencedor do Prémio LeYa — mas não o que era esperado. Por falta de qualidade das obras literárias a concurso, o júri decidiu não atribuir o galardão, o que quer dizer que os cem mil euros para o vencedor ficam sem destino.

Para justificar a decisão, o júri, do qual faz parte Manuel Alegre, referiu que nenhuma das obras correspondeu “aos parâmetros de qualidade literária exigidos pelo Prémio”. Este ano, concorreram 409 autores — mais 61 do que no ano passado — de 14 países. 

Porém, já não é a primeira vez que o concurso tem este desfecho. Nas edições de 2010 e 2016 também nenhuma das obras correspondeu às expectativas e, por isso, o prémio não foi entregue.

O vencedor de 2018 foi o escritor brasileiro Itamar Vieira, com o romance “Torto Arado”.

O Prémio LeYa foi criado em 2008 com o objetivo de distinguir um romance inédito escrito em português, sendo o maior prémio para uma obra não publicada em língua portuguesa.