Livros

Este português quer ajudar todos a concretizarem os seus sonhos

Francesco Marconi nasceu em Coimbra mas foi para os EUA e lançou o livro “Avance”, com estratégias para cada pessoa chegar aos seus objetivos.

Tem 31 anos e é o diretor de estratégia da AP.

Chama-se Francesco Marconi e, apesar de ter um nome italiano de família, nasceu e cresceu na portuguesa Coimbra. Aos 22 anos, depois de se licenciar em Economia, mudou-se para Nova Iorque — a cidade dos seus sonhos —, para fazer um estágio não remunerado na ONU. O resto é história.

Há nove anos que vive na cidade americana e é atualmente o diretor de estratégia da Associated Press e professor na prestigiada Universidade de Columbia. Mais importante do que tudo, é que Marconi, hoje com 31 anos, quer partilhar com todos as suas ideias e estratégias para alcançarmos os nossos sonhos. O objetivo é fazê-lo em 30 dias, etapa a etapa.

Por isso mesmo é que lançou em janeiro em Portugal o livro “Avance — 30 Dias para Criar uma Vida à sua Medida”, depois de ter publicado nos EUA “Live Like Fiction: 30 Days to Become the Author of your Own Life Story”, no verão. Está à venda por 15€ e é uma edição da Matéria Prima. Aproveitámos uma passagem de Francesco Marconi por Portugal para falarmos com o autor.

Porque é que decidiu fazer este livro?
O livro começou como um exercício de observação. Quando fui para os Estados Unidos, há cerca de nove anos, senti um certo choque, do ponto de vista da cultura e do mundo profissional. E a minha forma de navegar esse choque foi tirar notas: ver como as pessoas se comportavam, como é que faziam conversa de circunstância…

Para ir absorvendo aquilo que o rodeava.
Exatamente. E depois o que eu fiz foi tentar fundamentar essas notas com pesquisa e estudos de gestão, liderança, psicologia. E o resultado disso foi um bloco de notas pessoal, ou uma espécie de guião de vida que eu utilizava no dia a dia.

Ainda usa?
Ainda uso, todos os dias. E a evolução disso foi que decidi tornar essas notas num post que publiquei na plataforma Medium, em inglês. E de repente o post torna-se viral, com imensas partilhas, e pessoas a enviarem-me emails e mensagens. Dessa pequena atenção mediática surgiu a oportunidade de publicar o livro em inglês. E sempre foi a minha ambição de transformar o livro para o mercado português. O objetivo do livro é o de ajudar as pessoas, como as notas me ajudaram a mim, a definir uma estratégia pessoal.

Existem vários passos e exercícios específicos, não é?
Tens vários passos, os [planos de] 30 dias, e um género de bloco de notas para fazeres pequenos exercícios e testares essas estratégias que vais aprendendo. Em 30 dias o leitor consegue compreender estes conceitos que em geral são comunicados de forma complexa, por professores e livros académicos. É uma leitura mais ligeira e descontraída. Este livro não é um livro de auto-ajuda, é de estratégia empresarial: há vários componentes de comunicação, psicologia, liderança, gestão.

Um dos elementos essenciais neste livro é a etapa de descobrirmos o nosso propósito de vida, aquilo que queremos fazer. Com que idade descobriu o seu?
Acho que o propósito de vida evolui à medida que nós evoluímos. O primeiro de que me lembro — que nem era uma ambição profissional — foi mesmo viver nos Estados Unidos, em Nova Iorque.

Tinha que idade quando começou por ter esse objetivo?
15 ou 16 anos. E o que eu fiz foi ir à IKEA, comprei um quadro gigante a preto e branco de Nova Iorque, dos arranha-céus, e pendurei-o em cima da minha cama. Era uma forma de visualizar esse objetivo. Obviamente que isso não significa que temos um objetivo e que temos de o imprimir em três metros por dois.