Livros

“Lugares Abandonados de Portugal” é o novo livro de Vanessa Fidalgo

A jornalista viajou de norte a sul do País para contar a história de aldeias, estações ferroviárias, mansões e palacetes que ficaram esquecidos no tempo.

A Aldeia do Colmeal foi vítima de um despejo coletivo em 1957.

A história da Quinta do Comandante, em Oliveira de Azeméis, remonta ao início do século XX, quando ainda se chamava Quinta do Outeiro e pertencia ao comandante da marinha portuguesa, João Paes Batista de Carvalho. Era casado com D. Eugénia, uma mulher muito bondosa e bonita, que morreu na sequência de uma queda na escadaria principal da casa. Incapaz de lidar com a dor, uma noite o comandante convidou familiares e amigos para um jantar. A meio da refeição levantou-se, foi ao quarto, pegou num revólver e suicidou-se.

Esta é apenas uma das muitas histórias que pode encontrar no novo livro da jornalista Vanessa Fidalgo, “Lugares Abandonados de Portugal”. Do forte onde Salazar sofreu a célebre queda da cadeira em 1968 até aos habitantes de uma aldeia inteira que foram expulsos pela GNR a 10 de julho de 1957, Portugal está cheio de mistérios, lendas e memórias.

Palácios, quintas, conventos, aldeias, fábricas e sanatórios. O que é que têm em comum? Estão todos abandonados. As suas histórias são contadas agora em livro, editado pela A Esfera dos Livros. Nas livrarias desde 8 de setembro, está à venda no site da editora por 16,50€.

Vanessa Fidalgo é também autora de “Histórias de um Portugal Abandonado” (2012), “101 Lugares para Ter Medo em Portugal” (2013), “Seres Mágicos em Portugal” (2014) e “Avistamentos de Ovnis em Portugal” (2016).

Recorda a rubrica da NiT sobre edifícios abandonados em Portugal. 

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo