Livros

Feira do Livro de Lisboa pode crescer em 2018

A edição deste ano do evento foi um sucesso, com mais de mil sessões de autógrafos e um aumento nas vendas.

O recorde de visitantes pode ter sido batido.

A 87.ª edição da Feira do Livro de Lisboa, que terminou este domingo, 18 de junho, foi um sucesso — ainda sem números finais oficiais, é possível que tenha sido batido o recorde de visitantes, alcançado em 2014, com quase 500 mil pessoas a passarem pelo Parque Eduardo VII.

O “Diário de Notícias” avança que a edição de 2018 pode ser a maior de sempre. O Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, terá dito que a feira pode ocupar um espaço maior dentro do parque no próximo ano.

Alguns dos espaços de restauração podem ser instalados nas margens — onde as esplanadas podem ficar à sombra das árvores. Isso vai originar mais espaço para as barracas das editoras e alfarrabistas.

Este ano, foram batidos os recordes de venda. Ao todo, foram vendidos cerca de 400 mil livros, o equivalente a cerca de quatro milhões de euros. Os valores dependem de cada editora, mas foram vendidos mais 2% ou 3% em livros em relação ao ano passado. A Hora H — onde os livros foram vendidos a 50% nos últimos 60 minutos do dia — também ajudou.

A afluência foi maior, sobretudo aos dias de semana, e para isso muito contribuiram as sessões de autógrafos. Foram mais de mil nesta edição — os autores com filas maiores foram Luis Sepúlveda, Augusto Cury, Cristina Ferreira ou Paula Hawkins (que a NiT entrevistou).

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo