NiTfm live

Cinema

“A Perfeição”: o filme da Netflix é descrito como “nojento” e está a causar vómitos

Estreou a 24 de maio e conta uma história com elementos de suspense (e bastante violência).
O filme tem uma hora e meia.

Com elementos de terror e de thriller, “A Perfeição” é o filme da Netflix que tem estado a ser descrito nas redes sociais como “nojento”, que causa “náuseas” e “vómitos”. A história estreou na plataforma de streaming a 24 de maio.

Foi realizado por Richard Shepard, que trabalhou, por exemplo, em projetos como “Betty Feia”. A produção recebeu críticas muito divergentes mas soma no Rotten Tomatoes, o site que aglomera as classificações de todos os textos da imprensa especializada, uma pontuação bastante positiva, de 78 por cento.

O enredo centra-se em duas violoncelistas, Charlotte (Allison Williams, que já conhecia Shepard de “Girls”) e Lizzie (Logan Browning). Charlotte era a estrela do conservatório de Boston, nos EUA, que é gerido por uma família há várias décadas, até ter de se retirar durante a adolescência para cuidar da mãe doente.

Quase uma década depois, e após uma estadia misteriosa num hospital para doentes mentais, Charlotte regressa à escola para encontrar a nova violoncelista prodígio e protegida dos seus antigos mentores, Lizzie.

Não demora muito até Charlotte e Lizzie ficarem atraídas uma pela outra (mesmo que sejam apresentadas como arqui-rivais) e se envolverem de forma amorosa — a partir daí os acontecimentos sucedem-se rapidamente, com várias reviravoltas surpreendentes pelo caminho.

Esse caminho inclui vómitos das personagens — com larvas e outros bichos à mistura —, membros cortados e outros géneros de violência não aconselhável aos espectadores mais sensíveis. Tudo leva a que se descubra que Anton (Steven Weber), o diretor do conservatório de Boston, tem usado a escola como uma fachada para o culto sexual de violação das alunas que a família tem como tradição há várias gerações.

A última parte do filme é uma espécie de vingança de Charlotte e Lizzie (sendo que a relação entre ambas muda ao longo da história) contra Anton e o seu culto. Muitos críticos realçam o lado feminista de duas mulheres a romperem com a opressão patriarcal, mas outros consideraram que o guião aprendeu as coisas erradas com as lições do movimento #MeToo.

Nas redes sociais, multiplicaram-se as reações de choque e nojo a várias cenas de “A Perfeição”. Um utilizador comentou no Twitter: “Eu senti-me fisicamente doente depois de ver ‘A Perfeição’, não consegui aguentar os bichos. Estava prestes a desligar o filme, mas ainda bem que não o fiz porque o final foi bom.”

Outra pessoa comentou na mesma rede social: “‘A Perfeição’, da Netflix, é doente. De uma forma má, o meu corpo não se consegue mexer e apetece-me vomitar.”

Houve ainda uma espectadora que disse: “Comecei a ver ‘A Perfeição’ enquanto estava a comer e agora sinto-me mesmo doente. Pior decisão de sempre”.

Uma das cenas que mais confusão tem causado nas pessoas é uma passada num autocarro. Lizzie e Charlotte são duas das passageiras numa viagem às zonas rurais da China e Lizzie está a sentir-se bastante mal. Quando vomita — e de forma explícita — há insetos e larvas.

Allison Williams revelou à revista “People” que essa cena foi inspirada numa experiência real do realizador no México, quando estava doente a fazer uma viagem de autocarro. “Conseguimos identificar-nos tão bem, de forma visceral, e é terrível — e tem um twist de que ninguém está à espera”, contou a atriz.

“A Perfeição” tem uma hora e meia de duração e o elenco inclui ainda Alaina Huffman, Graeme Duffy, Glynis Davies, Winnie Hung ou Mark Kandborg, entre outros. As atrizes principais estão a ser bastante elogiadas pela crítica.