NiTfm live

Cinema

Críticos de “Downton Abbey” dizem que o filme não acrescenta nada à série

A adaptação desta história ao cinema estreia em Portugal esta quinta-feira, 19 de setembro, com o elenco da série.
A série teve seis temporadas.

Chegou o dia: dois anos depois do anúncio oficial, chega às salas esta quinta-feira, 19 de setembro, o filme de “Downton Abbey”. É a primeira adaptação para cinema da conceituada série de televisão que terminou em 2015. A história retrata a Inglaterra do século XX e estreou em 2010, vencendo três Globos de Ouro e 15 prémios Emmy, entre outros, durante as seis temporadas.

Nas últimas semanas, a imprensa internacional tem publicado várias críticas sobre esta produção realizada por Michael Engler, com um argumento escrito por Julian Fellowes, o criador da produção televisiva. Há textos mais e menos positivos — no site Rotten Tomatoes, que aglomera as classificações das críticas, tem uma boa pontuação, com 81 por cento de textos favoráveis.

De qualquer forma, uma das opiniões mais apontadas pelos críticos é o facto de o filme de “Downton Abbey” não ser, verdadeiramente, necessário. “Será que isto vale mesmo a pena estar nos cinemas?”, pergunta no título da sua crítica o prestigiado jornal “The Telegraph”.

A revista “Salon” diz que era “completamente desnecessário” um filme de “Downton Abbey”. Mesmo que seja essencial para os grandes (e dedicados) fãs da série.

“O filme de ‘Downton Abbey’ existe inteiramente para servir os fãs hardcore que passariam tempo com os Crawley durante muitas gerações. E os números de fãs são tão significativos que compraram mais bilhetes em pré-venda este ano do que qualquer outro drama”, escreve a publicação, defendendo que é sobretudo um filme para aqueles que já eram fãs da série.

A crítica da edição americana da revista “Vogue” partilha da mesma opinião. O título do texto é, aliás, “Nós não precisávamos do filme de ‘Downton Abbey’, mas estamos felizes por o ter”.

O jornal britânico “The Independent”, por seu lado, descreve o filme de “Downton Abbey” como “nada mais do que um especial de Natal alargado”, atribuindo uma classificação de apenas duas em cinco estrelas.

“Apesar de os fãs poderem estar contentes simplesmente por voltarem a estar na presença dos seus aristocratas favoritos por mais algumas horas preciosas, é difícil encontrar uma justificação sobre o porquê de a série da ITV ter sentido a necessidade de se mudar para o grande ecrã — além do dinheiro, claro.”

O texto acrescenta: “O filme não é nada mais do que um especial de Natal alargado com o aumento suficiente no orçamento para mais um ou dois planos captados de helicóptero.”

O site “AV Club” também explicou a sua visão sobre este projeto. “Mais gentil, tolo e um pouco mais sem objetivo do que um episódio normal da série. O filme de ‘Downton Abbey’ não é grande arte. Nem sequer parece um filme completo. Mas para os fãs que têm saudades deste retrato do passado, vai ser uma ótima tarde no cinema.”

A BBC diz que o filme é “muito divertido, apesar de o enredo ser tão óbvio que chega a ser estúpido”. Já o jornal “The Sun” descreve-o como “o filme mais radical do ano”. “Porque a adaptação não tem sexo, nudez, asneiras, sangue, entranhas ou qualquer drama.”

A revista “The Hollywood Reporter” diz que estão plantadas as sementes para que haja possíveis sequelas, ou spinoffs, deste universo das elites da Londres do início do século XX. 

“Nesta era de reboots, remakes ou spinoffs, não há nada com sucesso que seja deixado em paz. Cada história transforma-se no próprio universo que pode ser reentrado se desejado, desde que haja sumo dos combustíveis que podem mexer com a narrativa: dinheiro e interesse nas redes sociais.”

O elenco original reuniu-se para esta adaptação ao cinema. A história recomeça em 1927. Todas as personagens vão reunir-se na mansão por causa de um grande acontecimento: uma visita da família real, do rei Jorge V e da rainha Maria. Para terem tudo em ordem, os Crawley pedem a Carson para regressar à propriedade.

Os relvados estão aparados, os quartos meticulosamente arrumados e os copos de cristal são esfregados. A cerimónia é grande quando se recebe em casa a família real. Esta é uma altura de crise económica e, por isso, os Crawley estão com menos empregados do que o habitual.

Nas imagens do trailer, Lady Mary brinca com o facto de deixar Downton Abbey para ter uma nova vida. Anna Bates, a sua empregada, relembra-lhe a importância da propriedade naquela pequena vila britânica que todos os fãs adoram ver — mesmo que o filme não fosse assim tão necessário.