NiTfm live

Cinema

“Murder Mystery”: o filme mais odiado da Netflix é também o mais visto

Adam Sandler e Jennifer Aniston são as estrelas desta comédia que tem um crime por resolver.
Jennifer Aniston e Adam Sandler são os protagonistas.

Desde que estreou na Netflix, a 14 de junho, que a comédia “Murder Mystery” se tornou viral na plataforma de streaming — segundo a empresa americana, teve a melhor estreia de sempre ao ser vista por mais de 31 milhões de contas no primeiro fim de semana.

Adam Sandler interpreta um polícia nova-iorquino que, mais uma vez, não passa no exame de detetive. Só que nesta ocasião não consegue contar à mulher (Jennifer Aniston) por não querer desapontá-la novamente.

Então, embarcam numa viagem (prometida há muito tempo) para a Europa com o dinheiro que não têm. O objetivo é reacenderem a paixão no casamento mas acabam envolvidos na misteriosa morte de um bilionário num iate. Perseguidos pela polícia, decidem resolver o crime sozinhos.

O resultado? Torna-se uma espécie de tentativa de desvendar um mistério à la Agatha Christie, só que tudo com um tom cómico (e por vezes romântico). Este é o sexto filme de Adam Sandler na Netflix — que faz parte de um acordo enorme (e altamente lucrativo) que o ator, realizador e produtor americano assinou com a plataforma de streaming.

Apesar de ter sido visto por tantas pessoas, grande parte das críticas não têm sido nada positivas para “Murder Mystery”. No Rotten Tomatoes, site que aglomera as classificações das publicações especializadas, tem uma taxa de apenas 45 por cento de textos positivos.

A revista “IndieWire” critica particularmente este projeto realizado por James Vanderblit (de “Zodiac” e “Assalto à Casa Branca”). “É o tipo de lixo preguiçoso e pouco inspirado que só pode ser feito por alguém que sabe que isso não importa”, escreve a publicação americana.

“Há uma calma estranha e pouco comum sobre o facto de este filme ser tão mau. Parece que um livro de Agatha Christie foi adaptado para uma espécie de música de elevador ilustrada. Parece que ninguém quer saber destas personagens com zero dimensões, as piadas dignas de sitcom ou literalmente tudo o resto”, pode ler-se ainda na “IndieWire”.

O jornal canadiano “The Globe and Mail” também não gostou da nova produção. “Este é o filme definitivo de Adam Sandler na Netflix. É burro, sem sentido e não irá provocar quaisquer risos. Desperdiça um elenco com talento e todo o vosso tempo. Pior do que tudo, é preguiçoso e de uma forma inconsciente, logo a começar com o título tão genérico — a sério, quem é que dá nomes a estas coisas?”

E o jornal americano “The Michigan Mail” foi outro dos que se juntaram às críticas particularmente duras a “Murder Mistery”, com um artigo com o título “‘Murder Mystery’ estabeleceu uma nova fasquia baixa para o cinema”. Escreveu o jornalista Ross Orgiefsky: “Vi este filme com a minha pobre mãe, que agora tem um novo filme como o seu menos favorito. Mesmo que Adam Sandler fosse substituído por um ator a sério, a história continuaria previsível — a mãe e eu apanhámos um dos assassinos logo no início.”

Se esta produção tivesse os mesmos números no cinema, seria um enorme estrondo de receitas de bilheteira, alertam vários textos, mas isso não significa que tivesse exatamente o mesmo resultado se fosse necessário pagar um bilhete só para ver este filme. De qualquer forma, não desesperem, fãs: há sempre um novo filme de Adam Sandler a caminho — e estará na Netflix.