NiTfm live

Cinema

Havia dois finais alternativos para o filme de “Breaking Bad”

A primeira longa-metragem da saga, "El Camino", já estreou na Netflix.
Jesse é o grande protagonista do filme.

Quando “Breaking Bad” terminou, Jesse Pinkman teve um final agridoce. Conseguiu libertar-se das mãos dos cruéis traficantes racistas que o mantinham como escravo, mas estava traumatizado e destroçado com tudo o que lhe acontecera nos últimos anos. Por isso, partiu em direção ao horizonte, a tentar escapar pela única estrada que encontrou.

Foi um grande final e à medida da dimensão da série que “Breaking Bad” é. Por isso, durante bastante tempo, ninguém pensou que seria possível continuar a história. Até que o criador da série, Vince Gilligan, decidiu que seria engraçado contar o que tinha acontecido depois daquele final.

Foi assim que começou a nascer “El Camino: Um Filme Breaking Bad”, a primeira longa-metragem da saga, escrita e realizada por Gilligan, que estreou na Netflix a 11 de outubro. Já agora, leia a crítica da NiT.

No filme, Jesse consegue ajuda dos antigos amigos Skinny Pete e Badger, rouba o dinheiro escondido na casa de Todd, mais tarde consegue ficar com mais dinheiro quando ataca o covil de Kandy e dos seus comparsas, e finalmente consegue comprar a sua ida para o Alasca — ao talentoso e enigmático vendedor de aspiradores que é um pouco mais do que isso (Robert Forster, ator que morreu no mesmo dia da estreia do filme) — onde vai viver com uma nova identidade.

Tudo isto está envolto em vários flashbacks, numa narrativa que inclui alguns cameos especiais de personagens icónicas da série, como Mike Ehrmantraut e Jane. Além, claro, de Walter White. É um filme cheio de referências para os fãs.

A verdade é que Vince Gilligan e Aaron Paul (o ator que interpreta Jesse Pinkman) já tinham deixado várias pistas — totalmente explícitas — sobre o que iria acontecer à personagem.

Em 2013, quando terminou “Breaking Bad”, o showrunner disse à revista americana “Entertainment Weekly” que Jesse ia para o Alasca. Portanto, já sabíamos disto há seis anos.

“Algumas pessoas podem pensar: ‘Bem, ele provavelmente anda mais uns quilómetros na estrada antes que os polícias o apanhem’. Mas prefiro acreditar que ele escapou, e que tem um longo caminho de recuperação pela frente. Todas as coisas terríveis a que ele assistiu também o vão deixar com marcas, mas o romântico em mim quer acreditar que ele consegue escapar e que se muda para o Alasca e que tem uma vida pacífica em comunhão com a natureza.” Vince Gilligan, em 2013.

No ano passado, Aaron Paul fez um comentário semelhante, embora mais reduzido. Disse que, depois daquilo tudo, gostava que Jesse “fosse direto ao Alasca, para uma cidade no meio do nada, e começasse a construir coisas com as mãos”.

Gilligan disse à mesma publicação, mas numa entrevista publicada esta segunda-feira, 14 de outubro, que a ideia original — quando começou a escrever o guião — não era que o filme terminasse desta forma, com um final tão feliz.

O showrunner tinha pensado numa história em que Jesse acabaria na prisão. Mesmo que fosse lógico, os fãs muito provavelmente não gostariam desta versão — e foi isso que a namorada de Vince Gilligan lhe disse. Outras pessoas próximas que tinham trabalhado na série aconselharam o mesmo ao showrunner, que talvez essa não fosse a melhor ideia.

O guião para essa hipótese não chegou a estar numa fase avançada, mas pressupunha que Jesse estivesse escondido perto da fronteira com o Canadá — país vizinho que teria de atravessar para chegar ao estado americano do Alasca.

“Provavelmente a história teria que ver com uma jovem mulher que precisasse de ajuda. Esta mulher estaria a trabalhar num motel a limpar os quartos ou assim. Ele iria salvá-la, sabendo muito bem que iria sofrer por isso, que seria apanhado, mas fá-lo-ia à mesma”, explicou o argumentista e realizador do filme.

E acrescentou: “A última cena talvez fosse dele numa cela de prisão mas em paz, pela primeira vez desde que o filme tivesse começado. Penso que tinha uma componente de ele não conseguir dormir. Não conseguia dormir nem uma noite durante aquela semana em que estava a escapar. A polícia estava à procura dele e ele estava demasiado atormentado e com demasiada adrenalina para o conseguir fazer. E no final de tudo, ele estaria na cela, e ironicamente conseguiria adormecer como um bebé. Pensei que seria fixe.”

Ainda assim, Vince Gilligan assume que foi melhor ter dado ouvidos às pessoas que o aconselharam a ir pela versão que acabou por se concretizar. 

Aaron Paul nunca soube que o filme seria para acontecer desta forma, com Jesse a terminar preso. Mas também revelou à “Entertainment Weekly” que inicialmente a versão que todos vimos na Netflix era para ter um final diferente. 

No fim da história, Jesse — no seu último ato antes de se tornar Driscoll — entrega uma carta a Ed (Robert Forster). É destinada a Brock, o jovem filho da ex-namorada de Jesse, Andrea, que foi assassinada por Todd à sua frente com o objetivo de o quebrar ainda mais. Só que Jesse não sabe que Walt envenenou Brock — e por isso é que escreveu aquela carta.

Houve uma versão da história em que “El Camino: Um Filme Breaking Bad” terminava com a voz de Jesse a ler o conteúdo da carta. Seria para pedir desculpa por tudo o que aconteceu, numa tentativa de se reconciliar com aquele rapaz antes de partir para uma nova vida. Jesse estaria a conduzir pelo Alasca enquanto se ouvia a sua voz a falar com Brock.

“Seria de partir o coração, seria honesto e bonito. Mas o Vince achou que, afinal, seria melhor não revelar o conteúdo da carta”, explicou Aaron Paul. “E não precisamos de a ouvir, ele tinha razão. Mas amo saber o que estava lá escrito”, disse o ator, sem revelar uma única palavra, mas deixando a ideia de que era para se desculpar de todo o mal que inadvertidamente tinha trazido para vida de Brock.

“Tenho a certeza de que foi a avó do Brock a abrir a carta e provavelmente ia levá-la à polícia e, depois, quem sabe?” É mais um mistério que fica por desvendar no complexo universo de “Breaking Bad”, que tem ainda a prequela “Better Call Saul”, que se foca na história do advogado Saul Goodman antes dos acontecimentos de “Breaking Bad”. Pode ser que a saga tenha mais capítulos nos próximos anos.

Para terminar, e se é uma daquelas pessoas que se consideram grandes fãs desta história, prove os seus conhecimentos neste quiz especial da NiT.