NiTfm live

Cinema

“Campeões”: a comédia que apaixonou Espanha tem atores amadores muito especiais

É sobre pessoas com autismo ou síndrome de Down e soma elogios. Está nas salas portuguesas desde quinta-feira, 4 de julho.
Um filme campeão.

Marco é o treinador de uma equipa de basquetebol da liga profissional de Espanha. Certo dia, tudo lhe corre mal e, depois de uma descomunal bebedeira e de um acidente de trânsito, acaba em tribunal. A sentença para o delito é tornar-se treinador voluntário de um grupo de portadores de várias deficiências, como autismo e síndrome de Down, que nunca tinham tocado numa bola de basquetebol.

Assim começa a linda e divertida história de “Campeões“, que estreou nos cinemas portugueses a 4 de julho, quinta-feira. O filme do realizador Javier Fesser teve um enorme sucesso em Espanha e levou mais de três milhões de espectadores às salas. É o candidato espanhol ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro e tem um elenco de atores especiais.

Em 2015, o realizador leu o argumento, apaixonou-se pelas personagens e sentiu que era a pessoa certa para contar aquela história. No momento de fazer o casting, teve a ajuda de associações e equipas de basquetebol para pessoas com algum tipo de deficiência. Foram quatro meses à procura dos atores certos.

“Geralmente, procuramos atores perfeitos para interpretar os papéis que já escrevemos. Neste caso, foi o oposto. Após o casting, o autor da história original e eu reescrevemos todo o argumento usando as personalidades das pessoas, as suas experiências e as vidas reais. Eu esqueci a minha imaginação e tirei tudo deles”, disse o realizador Javier Fesser à revista “The Wrap“, em novembro de 2018.

A sensibilidade de Fesser fez com que contratasse dez protagonistas portadores de doenças que diminuem a capacidade intelectual, mas que deram muita verdade ao filme. Roberto Chinchilla, Jesús Vidal, Jesús Lago Solís, Fran Fuentes, José de Luna, Sergio Olmo, Gloria Ramos, Alberto Nieto Fernández, Julio Fernández e Stefan Nieto foram escolhidos entre 600 candidatos.

“Embora tenhamos ficado com apenas dez, todos fizeram parte do resultado porque inspiraram frases, gestos, detalhes e reações que vamos ver no ecrã. Graças a eles conheci em profundidade o mundo dessas pessoas e apaixonei-me desde o início”, disse ao site “Fotogramas“, em setembro de 2018.

O realizador e os seus atores.

Durante as filmagens, Fesser foi uma espécie de treinador a impor uma disciplina ao elenco de atores não profissionais. Mas ao contrário do que costuma fazer em outros filmes, em que grava o mesmo take repetidas vezes para modificar alguns pormenores e ter ângulos diferentes da mesma cena, com o casting de “Campeões” tinha algo brilhante em cada tentativa que seria impossível de reproduzir.

“O meu trabalho não era ensiná-los a agir, mas criar um ambiente confortável, uma atmosfera em que eles se sentissem confortáveis ​​para serem eles mesmos. Então, o ensaio era para mim [para se orientar] e não para eles. Tive de colocar o meu nível muito, muito alto. As coisas que acontecem em frente da câmara são muitas vezes muito tocantes, coisas muito bonitas, e temos de estar nesse nível para capturá-las”, disse o realizador à revista “The Wrap“.

Os campeões da vida real sabem o que é lutar para se integrarem na sociedade. A atriz Glória Ramos, 26 anos, interpreta Collante, a líder da equipa de basquetebol. Longe do cinema, trabalha numa loja de sapatilhas desportivas em Madrid (Espanha).

Javier Fesser encontrou os protagonistas graças à federação espanhola Plena Inclusión. O Grupo AMÁS — que é uma das associações que fazem parte da federação — é responsável pela formação em artes cénicas e pela integração laboral dos portadores de deficiência.

A partir deste grupo, escolheram uma pessoa que se transformou em coach para todos os outros atores e começou a trabalhar com os dez selecionados.

“Trabalhei com toda a equipa de atores por um mês e meio. Fui coach de texto e de atuação. O Grupo AMÁS deu-lhes todo o apoio. E como eu também estava no filme, pudemos garantir que toda a figuração e as personagens secundárias também saíssem de associações como esta”, contou Allende López ao site “El Español“, em abril de 2018.

Vendido como uma comédia séria, “Campeões” pretende emocionar o público ao contar a história pessoal da redenção do treinador, conjugada com as particularidades dos seus jogadores.