NiTfm live

Cinema

Aviso aos pais: o novo “Frozen: Reino do Gelo” é bem mais obscuro e adulto

A sequela do blockbuster de animação chega esta quinta-feira, 21 de novembro, aos cinemas portugueses.
O filme tem cerca de 1h45 de duração.

Já passaram seis anos desde que estreou “Frozen: O Reino do Gelo”, um filme que conquistou dezenas de milhões de miúdos por todo o mundo através de personagens como Elsa, Anna, Kristoff, Sven e Olaf. Além disso, o tema “Let It Go” — ou a versão portuguesa “Já Passou” — tornou-se um hit que ainda hoje se repete em cada viagem de carro.

Com o enorme sucesso da saga, fizeram-se espetáculos ao vivo e venderam-se ainda mais milhões de artigos de merchandise. Depois, a Disney começou a pensar numa sequela, que chega finalmente aos cinemas esta quinta-feira, 21 de novembro.

Passados seis anos, o público mais devoto de “Frozen: O Reino do Gelo” cresceu e muitos deles estão numa fase completamente diferente da sua vida. Por exemplo, um miúdo que viu o filme original com sete anos tem hoje 13 — já é adolescente. Um miúdo que tinha 12 anos tem agora 18, e está prestes a entrar na faculdade, se é que já não entrou.

Por isso mesmo, os realizadores Chris BuckJennifer Lee quiseram amadurecer a história para esta sequela, enquanto — em simultâneo — se esforçaram por preservar a magia e a nostalgia do filme original.

Ou seja, era importante manter aquele público fiel, que já cresceu, mas também contagiar novas gerações de crianças que eram demasiado novas em 2013 (ou que ainda não tinham sequer nascido).

O que é importante é que os pais de crianças mais pequenas — que tenham quatro, cinco, seis ou sete anos, por exemplo — saibam ao que vão. No filme original, temas mais pesados, como a morte, eram representados de uma forma visual abstrata (por exemplo, com uma cortina preta sobre um retrato).

Esta ideia de perda está muito mais presente e vívida na sequela, o que faz com que os sentimentos de tristeza ou de medo, associados à morte, possam também estar mais presentes. Se tem miúdos que ainda não entendem bem este conceito, é provável que lhe façam perguntas difíceis depois de verem o filme.

Há uma cena em “Frozen II — O Reino do Gelo” em que Olaf faz de narrador para relembrar os acontecimentos do primeiro filme. E o boneco de neve diz mesmo que os pais de Anna e Elsa “morreram”, apesar de tentar dar uma aura leve àquele momento. No primeiro filme, se bem se recorda, tudo aquilo que está relacionado com a morte está inserido de uma forma bastante cautelosa e subtil.

Além disso, nesta história da Disney — ao contrário de tantas outras — não existe um vilão em concreto. O grande mal vem na forma de “desconhecido”, e sabemos que isso pode causar um tipo de medo mais acentuado, já que os miúdos não sabem do que se trata e muito menos com o que estão a lidar.

Sem revelarmos spoilers, a cena de todo o filme que tem sido descrita como mais obscura acontece no último quarto da história. Uma das irmãs diz: “A vida que eu conhecia acabou. As luzes apagaram-se. Olá, escuridão, estou pronta para sucumbir.”

Nesta nova história há criaturas novas, como um cavalo marinho ou um gigante, e uma aventura que leva Elsa, Anna, Kristoff e Olaf a atravessarem as fronteiras de Arendelle e a enfrentarem os perigos desconhecidos que existem a Norte. 

O elenco tem Kristen BellIdina MenzelJosh GadJonathan GroffSterling K. BrownEvan Rachel WoodAlfred MolinaJason Ritter e Ciarán Hinds, entre outros.