NiTfm live

Cinema

Afinal, Arthur assassinou ou não a vizinha Sophie em “Joker”?

Foi um debate que se instalou online, mas o realizador Todd Phillips já revelou a verdade.
O filme estreou em Portugal a 3 de outubro.

Depois de assistirem a “Joker” no cinema, muitos espectadores correram para a Internet para descobrirem o que tinha acontecido a Sophie (Zazie Beetz), a vizinha de Arthur Fleck — o protagonista, interpretado por Joaquin Phoenix —, que é deixada numa situação ambígua na história realizada por Todd Phillips.

A discussão foi lançada nas redes sociais e centenas ou milhares de fãs do filme, que tem tido um enorme impacto em todo o mundo, começaram a debater o que teria acontecido com a personagem. A última vez que vemos Sophie é quando ela entra em casa e percebe que Arthur está sentado na sua sala — é aí que descobrimos que toda a relação entre ela e o protagonista tinha sido uma fantasia da cabeça doente daquele que se tornou Joker.

Naquela fase do filme, Arthur está em modo vingativo, por isso muitos fãs ficaram a pensar se ele também teria matado Sophie. O que vemos é Arthur a cambalear pelo corredor do prédio, a entrar no seu apartamento e a colocar-se dentro do frigorífico — que foi uma cena improvisada por Joaquin Phoenix.

O realizador e argumentista Todd Phillips já deu a resposta que todos queriam saber. Numa entrevista à revista “IndieWire” publicada esta segunda-feira, 4 de novembro. Phillips explicou ainda que o objetivo foi mesmo deixar o assunto ambíguo, embora exista uma resposta.

“Ele não a mata, definitivamente”, explicou o realizador de 48 anos. “Nós gostamos de pensar que foi quase um teste para o público pensar ‘o quão maluco é ele?’ A maior parte das pessoas com quem falei pensam que ele não a matou porque entendem a ideia de que ele só mata pessoas que lhe fizeram mal. Ela não teve nada a ver com isso.”

E acrescentou: “A maior parte do público percebeu que, mesmo sendo um vilão, ele estava a viver com um certo código. Claro que ele não matou esta mulher.”

Todd Phillips revelou também que havia uma cena prevista em que Zazie Beetz voltaria a aparecer em “Joker”, mas foi cortada da edição final. Nessa cena, Sophie estaria em casa a ver na televisão o trágico programa de Murray Franklin (Robert De Niro) com Arthur como convidado.

Serviria para confirmar que ela estava viva, mas a produção optou por cortar a cena. O objetivo era ter um filme inteiramente do ponto de vista do protagonista — e essa cena destoaria bastante se assim fosse, porque assumiria de forma óbvia uma outra perspetiva.

“Joker” já está na história de 2019 como um dos grandes filmes do ano e será certamente um dos candidatos mais fortes na época de prémios que chega no final de 2019 (e que continua no início de 2020).

Já é uma das produções mais lucrativas do ano, tendo batido o recorde de filme para maiores de 18 anos mais visto de sempre nos cinemas de todo o planeta. Até domingo, 3 de novembro, foi visto em Portugal por mais de 720 mil espectadores, o que é um número impressionante. Este ano só fica atrás da nova versão de “O Rei Leão”, que se tornou o filme mais visto de sempre em Portugal.

Leia ainda a crítica da NiT a “Joker”, descubra a história real que inspirou esta personagem e saiba de que forma Jared Leto tentou sabotar este filme com Joaquin Phoenix. Além disso, leia o artigo sobre como o ator principal teve de perder 23 quilos para o papel.

Não deixe também de espreitar o mural em homenagem a Joker que foi pintado na Linha de Sintra — e veja as fotos inéditas de bastidores partilhadas por Todd Phillips.