NiTfm live

Teatro e exposições

Já visitámos o futuro museu das notícias

Há óculos de realidade virtual que dão vertigens e até um quiz sobre o jornalismo com Manuela Moura Guedes. O NewsMuseum abre a 25 de abril em Sintra.

No edifício do antigo Museu do Brinquedo já não há casas de bonecas, carros de madeira ou aviões. Os cerca de 60 mil brinquedos que estavam em exposição foram substituídos por óculos de realidade virtual, campainhas do “Quem Quer Ser Milionário” (com Manuela Moura Guedes incluída) e um cubo de Rubik gigante que ajuda a construir a capa de um jornal — com base nas escolhas éticas dos visitantes. Mas há mais. Muito mais.

O NewsMuseum é o novo museu dedicado às notícias na cidade. Situado no antigo Museu do Brinquedo, no centro histórico de Sintra, o espaço só vai ser inaugurado a 25 de abril, mas a NiT já lá esteve. Ao longo de três andares (quatro, se contarmos com o rés do chão), recorda-se a história de Portugal e do mundo segundo as notícias dos media. Relembram-se debates, capas de revistas e de jornais e reportagens radiofónicas que fizeram a diferença. Tudo isto num convite aberto aos visitantes, que são incentivados a participarem nas estórias.

“Fazia falta a Portugal [um museu sobre notícias]”, diz à NiT o diretor do NewsMuseum, Rodrigo Moita de Deus. “Os media são o grande repositório da história do País e do mundo nos últimos 120 anos. São os media que retratam aquilo que se passou nas últimas décadas no mundo.” Segundo o diretor, mais do que um museu sobre os media, é um museu sobre as “histórias da história”.

Até o elevador oferece uma experiência diferente — durante 37 segundos, o tempo de chegar ao terceiro andar, ouve-se o discurso de François Hollande

O projeto foi promovido pela Associação Acta Diurna e contou com o apoio da Câmara Municipal de Sintra. O museu apostou na tecnologia para tornar o espaço o mais multimédia possível. Há uma torre com 69 televisões a transmitir notícias em direto, um ecrã touch com mais de 67 metros quadrados e até uns óculos de realidade virtual que oferecem uma experiência vertiginosa.

E porque o objetivo é que o espaço seja interativo, também há um local para simular um direto (fica tudo gravado para a posterioridade), uma sala de reproduz a primeira noite da Guerra do Golfo e muitos jogos. Até o elevador oferece uma experiência diferente — durante 37 segundos (o tempo que demora a chegar ao terceiro andar, onde começa a exposição) ouve-se o discurso de François Hollande quando, a 16 de novembro de 2015, o presidente anunciou que França estava em guerra depois dos atentados em Paris.

Carregue na imagem acima para fazer uma visita guiada pelas salas e espaços mais importantes do museu.