Moda

Liliana Ferreira, a mulher que faz as noivas mais felizes (e nenhum bouquet igual)

Criou a Biju Bouquet em 2011, uma marca que em vez de flores naturais usa jóias eternas.
Algumas das sugestões.

Depois de namorarem três anos e meio, Hélder Campos e Liliana Ferreira decidiram casar. “Conhecemo-nos em 2005 e o pedido aconteceu em 2008, quando já vivíamos juntos. A cerimónia foi a 4 de setembro de 2010, na igreja Santa Eulália de Balazar na Póvoa do Varzim”, conta a jovem de 34 anos à NiT.

Liliana teve pouco mais de um ano para preparar o seu casamento de sonho. Desde o início que tinha uma certeza: não queria um bouquet tradicional. “Pensei até em não levar nenhum. Nunca gostei de flores naturais porque não são eternas. Acabamos sempre por ter que deitá-las no lixo.”

noivas
Liliana no atelier.

Num dia normal de trabalho na loja de acessórios Oui c’est Moi, da qual era proprietária, teve uma ideia que acabou, mais tarde, por mudar toda a sua vida. “Olhei para uma das paredes e lembrei-me de criar um ramo com algumas daquelas pedrarias que estavam expostas”, conta.

E assim fez. Usou tecido para fazer o pé do bouquet e um arame fino para a armação. “Foi uma pequena experiência, tudo da minha cabeça, e adorei o resultado.” Na altura, Liliana não contou a invenção a ninguém. Até porque ficou ali decidido que ia levar um ramo idêntico para o casamento e queria que fosse surpresa.

“A seguir, pedi a cada mulher da minha família e às minhas amigas para me darem uma pedra. Elas pensavam que era para pôr no vestido ou usar nos guardanapos”, explica à NiT. Não era. Liliana usou os acessórios para compor o ramo para o grande dia e quando finalmente pôde mostrar o resultado, a reação não podia ter sido mais positiva.

Uma das sugestões.

 

“Usei as pedras que a minha mãe e irmã me deram no topo e elas ficaram muito emocionadas. Quando as minhas tias viram também quiseram logo pegar no bouquet para procurarem onde estavam as delas.”

Nos dias seguintes ao casamento, a jovem partilhou várias fotografias da sua invenção no Facebook. Seguiram-se várias perguntas de pessoas que queriam saber onde é que podiam comprar o ramo. Foi nessa altura que Liliana percebeu que tinha ali uma oportunidade de negócio.

Criou a Biju Bouquet em janeiro de 2011. “Comecei com o negócio online e passados três anos abri o meu primeiro atelier, com apenas 25 metros quadrados”, conta. Neste momento já está num espaço maior onde recebe as noivas por marcação.

Liliana nunca faz um bouquet com jóias igual. “São todos personalizados. A ideia é que as mulheres me dêem várias indicações, como as cores favoritas, e eu crio tudo a partir daí”, explica. Os ramos podem levar pedras de aço ou niquel com acabamentos em rosa gold, prateado ou dourado. Há também a hipótese de terem cristais Swarosvki ou pedras naturais verde-água ou azuis.

No atelier da Biju Bouquet trabalham quatro pessoas, que fazem todas as propostas à mão. Há cerca de três anos, a marca começou a apostar noutros produtos. “Não temos serviço de wedding planner, mas fazemos desde porta-alianças, a marcadores de mesa, convites, lembranças, talheres para o bolo, entre outras coisas”.

Há também bandoletes com pedraria a partir de 44,95€. Já os preços dos bouquets, esses, diferem de acordo com o que as noivas querem: “Temos o tamanho standard com valores desde 350€ e outro mais pequeno, desde 250€.

O atelier de Liliana fica no número 15 da rua 31 de janeiro, Póvoa do Varzim. As marcações podem ser feitas através do Instagram, Facebook ou do número 918 478 895.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT