Moda

Indústria dos casamentos apresentou medidas para retomar a atividade

O setor dos eventos sociais, que movimenta cerca de 900 milhões de euros todos os anos, está parado há três meses.
Criaram o movimento #juntospelocasamento.

Alguns profissionais de relevo na indústria dos eventos sociais uniram-se recentemente para alertar o governo sobre a importância do setor para a economia, reunindo num manual várias medidas especiais de boas práticas para a retoma dos casamentos e outras atividades semelhantes.

António Manuel Brito, CEO da Exponoivos, Carla Salsinha, empresária na AGA – CRI Couture, e Mário Pinheiro, CEO do portal Espaços para Eventos, juntaram-se ao movimento #juntospelocasamento e reuniram-se esta segunda-feira, 11 de maio, com o secretário de Estado do Comércio e Serviços, João Torres.

O objetivo pretendeu sensibilizar o governo para a importância que a retoma desta indústria terá para o País. Neste momento, os responsáveis pelo movimento estão à espera de uma resposta por parte do executivo socialista.

“Noivos com sonhos em stand by e milhares de empresários com as empresas em risco, é este o panorama atual num setor que contribui com 0,5 por cento do PIB nacional, assim como emprega milhares de pessoas. O volume de negócios do casamento em Portugal é superior a 900 milhões de euros“, disseram os responsáveis.

Segundo um estudo conduzido pela Exponoivos, a Covid-19 levou a que 85 por cento das empresas do setor sentissem um corte na faturação; 65 por cento entraram em layoff e 35 por cento tiveram de recorrer a reduções de salários. Das empresas inquiridas, 94 por cento tiveram cancelamentos ou adiamentos, sendo que 65 por cento dessas empresas tiveram de adiar mais de 10 casamentos.

“Todo o setor está consciente de que os eventos sociais, nomeadamente casamentos, batizados, comunhões, aniversários, bodas e similares não podem acontecer de forma indiscriminada. É claro para os profissionais que tem de haver medidas de segurança excepcionais e cuidados redobrados para que os eventos possam acontecer com a máxima segurança para todos os envolvidos”, continuam.

Assim, o “Manual de Boas Práticas para a Retoma de Atividade na Indústria de Eventos Sociais” apresentado ao governo reúne ideias apresentadas pelos profissionais do setor que integram o movimento #juntospelocasamento para retomar a atividade em segurança. Este setor está parado há cerca três meses.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT