Moda

Ellie Goldstein: a modelo com síndrome de Down que está a conquistar o mundo da moda

A sua fotografia, partilhada pela Gucci, foi um estrondoso sucesso na conta de Instagram e recebeu louvores dos seguidores.

Há uma modelo de 18 anos que está a conquistar o mundo da moda contra todas as probabilidades. Ellie Goldstein começou em adolescente a fazer campanhas publicitárias, mas a sua carreira evoluiu rapidamente e tomou um rumo inesperado. Na semana passada, tornou-se a primeira mulher com síndrome de Down a participar numa campanha da Gucci que foi publicada no site da prestigiada “Vogue” italiana.

A fotografia de Ellie na conta de Instagram da marca de luxo foi um estrondoso sucesso entre os seguidores e conquistou mais de 60 mil gostos — para que tenha uma referência, as outras imagens da mesma campanha tiveram pouco mais de 5 mil “likes”.

Esta nova promessa do mundo da moda é natural de Essex, no Reino Unido, e representada pela agência de talentos Zebedee Management, que se afirma como empenhada em “aumentar a representação de pessoas que, até agora, foram excluídas dos media”. 

Na campanha da Gucci, Ellie aparece a usar a máscara de pestanas L’Obscur. Segundo Alessandro Michele, o diretor criativo da marca, esta escolha tinha como conceito mostrar “uma pessoa autêntica que usa a maquilhagem para contar uma história de liberdade, à sua maneira”.

Na caixa de comentários do post da Gucci, a modelo aproveitou para deixar uma mensagem de agradecimento: “Adoro isto. Obrigada pela oportunidade e por um dia fabuloso a tirar fotografias”, escreveu. Já os utilizadores da plataforma partilharam milhares de comentários de incentivo e admiração pela escolha da marca e à beleza de Ellie.

Esta campanha inseriu-se num projeto de casting feito em parceria com a “Vogue“, que está a organizar um festival de fotografia com o tema “Beleza Inconvencional”, um evento que decorre pela quinta vez este ano e que está apontado para novembro. Participantes de todo o mundo inscreveram-se através do Instagram, onde foram carregadas mais de 6 mil fotografias — e Ellie Goldstein foi uma das escolhidas.

David Hyde, o fotógrafo da campanha, explicou à imprensa que esta pretende “alargar as fronteiras da beleza mostrando diferentes tipos de caras bonitas e juntá-las”, para provar que “a beleza está em todo o lado e existe em todas as pessoas”.

Ellie Goldstein está a estudar Artes Performativas numa faculdade em Essex e já tinha participado em várias campanhas, para marcas como a Superdrug, Nike e Vodafone. Nas redes sociais, a sua mãe, Yvonne, disse que toda a família está “incrivelmente orgulhosa” e destacou os comentários simpáticos que têm recebido no Instagram.

Está a estudar numa universidade em Essex.

“Ela sempre adorou estar no centro das atenções e à frente das câmaras, é muito confiante e ótima a seguir direções”, acrescentou.

Já Laura Johnson, uma representante da sua agência, disse que Ellie “é uma pessoa maravilhosa por dentro e por fora. Tem imensas capacidades e uma beleza natural. Esta oportunidade tem muito significado para ela, para a família e para a comunidade alargada. Ela ilumina uma sala quando entra e é uma grande profissional. Esperamos mesmo que todas as marcas tomem nota e que incluir modelos com deficiências começa a ser a norma”.

Segundo a Zebedee, estudos mostram que apenas 0,06 por cento daqueles que aparecem em publicidade têm algum tipo de deficiência e que este número desce para 0,01 a 0,02 quando se olha para a moda e beleza. “É apenas um ou dois modelos em 10 mil. As marcas não podem continuar a dizer que ‘o público não quer vê-los’, uma vez que este post no Instagram prova o contrário”, continuou Laura Johnson.

“A inclusão de todas as pessoas na indústria é muito importante, não só porque é a coisa certa a fazer do ponto de vista ético, mas também porque faz sentido para os negócios” Os portadores de deficiências, explica ainda, têm uma estimativa superior a 260 mil milhões de euros por ano, o que faz deste um “mercado gigantesco”.

Ellie com os pais.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT