Lojas e marcas

Portugueses criam serviço de troca de peças em segunda mão por roupa nova

A White Stamp quer ajudar os clientes a livrarem-se de coisas usadas, ao mesmo tempo que ganham descontos em peças novas.
Marta e Pedro, os fundadores.

Chama-se White Stamp e está em fase de arranque desde meados de novembro. O programa criado por uma dupla de portugueses permite que os retalhistas de moda mais exclusivos incentivem os seus clientes a trocar peças de roupa e acessórios usados por créditos para comprar coisas novas.

A ideia de Marta Rito e Pedro Sobral já estabeleceu a primeira parceria com a loja online Minty Square, que vende mais de cem marcas premium portuguesas e internacionais. Para ganhar créditos em compras, só tem de enviar para a White Stamp uma peça de designer usada, mas em bom estado, que se vai converter num promocode.

“O nosso foco é a reutilização”, explica Marta à NiT. Este projeto tem por base a sustentabilidade e funciona da seguinte maneira: ao entrar no site da Minty Square, vai encontrar na Homepage um separador chamado “SELL 1, BUY 1”. Depois de preencher o formulário, vai receber um email da empresa com o valor de cotação da peça que quer trocar por créditos, a informá-lo sobre a avaliação que foi feita.

Por exemplo, se o valor em que avaliam o produto for 30€, recebe um voucher com esse valor para usar na Minty Square em compras a partir de 75€ (ou seja, 40 por cento de desconto). No entanto, primeiro tem de enviar o seu artigo em segunda mão para a morada que indicarem, com uma etiqueta especial que vai receber no email e que cobre os custos de envio.

O promocode da White Stamp pode ser usado sem limite de tempo. Entretanto, os artigos usados serão colocados de volta no mercado através de parceiros da empresa, que lhes dão um destino comercial, para que “outras pessoas os possam adquirir a preços mais baixos.”

Para já, a White Stamp ainda só trabalha com a Minty Square e os únicos produtos que pode trocar por créditos são carteiras, já que a empresa ainda está em fase de testes. Mas “daqui a três ou quatro meses”, garante Marta, vão surgir novas parcerias.

Há quatro estados em que os artigos podem ser devolvidos: novo e com etiqueta; novo, sem etiqueta; usado apenas uma vez; ou usado, mas em bom estado. Dependendo das condições de conservação da peça, é então feita a avaliação.

Marta e Pedro são dois “entusiastas de moda”, que decidiram criar este serviço depois de repararam que tinham um problema comum a muita gente — todas as estações o roupeiro enchia-se de roupa em bom estado, que se acumulavam estação após estação.

Assente nos valores da sustentabilidade, a arquiteta do Porto, de 30 anos, e o gestor de Aveiro, de 34, lançaram-se neste desafio em Portugal, depois de passarem por experiências profissionais em países como o Brasil e Inglaterra.

Segundo Marta, até agora já receberam várias carteiras em muito bom estado. “Ainda ontem recebemos uma da Tous que só tinha sido usada uma vez”, explica. Agora, esse artigo vai ser posto no mercado e a cliente ficou com 65€ para usar em peças novas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT