Decoração

Há “rapidinhas” de cerâmica no Porto para aprender a fazer as suas próprias peças

A Ó! Cerâmica tem sessões de três horas que ensinam várias técnicas para se lançar no ofício.
Uma sessão no estúdio.

No número 61 da Rua Adolfo Casais Monteiro, no Porto, há um espaço onde pode aprender diferentes técnicas de cerâmica para se lançar na criação das suas próprias peças. Chama-se Ó! Cerâmica, fica numa perpendicular à Rua Miguel Bombarda e abriu no início de junho.

O espaço pretende ser uma galeria, loja e estúdio ao mesmo tempo, um pouco como o Conceito que Ema Ribeiro já tinha criado com a Ó! Galeria, dedicada às ilustrações, que abriu em 2009 no Porto e chegou mais tarde a Lisboa, em novembro de 2015.

View this post on Instagram

Peças acabadas de sair do forno 😊 Still hot, from the kiln 🧡 #workshop #barro #engobes #rolinho #clay #underglaze #coil

A post shared by Ó! Cerâmica (@ogaleriaceramica) on

Agora, a galerista de 46 anos tem um novo projeto que lançou em conjunto com Nuno Santos, de 39 anos, para responder a uma escassez deste tipo de espaços no mercado, que valorizem a cerâmica como uma vertente artística e não “apenas artesanato”. “Além de peças artísticas, temos peças utilitárias de ceramistas emergentes que reinventam formatos tradicionais e alguns exemplos de cerâmicas tradicionais com um twist”, começam por explicar à NiT.

No estúdio, realizam-se workshops de cerâmica para quem quer começar, um conceito a que chamaram de Rapidinhas, mas também há planos mensais para quem quer ir produzir as suas peças individualmente no espaço e realizar um projeto pontual ou contínuo.

As Rapidinhas são sessões de três horas onde são ensinadas as técnicas, princípios e utensílios do ofício da cerâmica. Por lá, vai aprender a fazer a construção manual e os tipos de pastas para “meter as mãos na massa” e desenvolver as suas próprias peças. “Para já, abordamos as técnicas mais básicas, a lastra, o rolinho, as decorações em crú e, com as peças cozidas, biscoito”.

Durante a pandemia, a adesão podia ser maior, mas os dois afirmam que “não se podem queixar”. “As inscrições nas Rapidinhas são o reflexo da curiosidade de muitos pela cerâmica, ainda conseguimos dar a oportunidade a alguns amigos e ilustradores de experimentarem as técnicas, o que nos deixa felizes”, acrescentam. 

No fim dos workshops, as peças podem ser vidradas ou cozidas no estúdio, mas quem quiser também pode levá-las logo para casa. O material é fornecido pela O! Cerâmica, que também oferece a primeira cozedura. Pelo email (ceramica@nullogaleria.com), os interessados podem pedir mais informações ou inscrever-se nas Rapidinhas, que custam entre 30€ e 50€. Mas também pode passar por lá para investir numa das peças disponíveis para venda.

Ó! Cerâmica
Os fundadores.

Quem manda nisto tudo?

Nomes: Ema Ribeiro e Nuno Santos;
Idades: 46 e 39 anos;
Formações: Ema: “Escultura na Faculdade de Belas Artes do Porto e Fotografia na Escola Superior Artística do Porto. Nuno: “Design de Moda na Árvore”;
Guilty pleasures: Ema: Cantar as músicas todas da M80. O Nuno diz que não tem… as if”;
Peça de cerâmica favorita na galeria: Ema: “Sem dúvida que o ‘António Variações’ do ceramista Alexandre da Silva, a mestria na elaboração, a perfeita referência aos anos 80 através de um ícone português, fazem com que se destaque de todas as outras”. Nuno: “A ‘Planície Vulcão’ da Yara Fukimoto. A forma como a Yara usa a cor do barro e o minimalismo das suas peças, em especial esta, prendem-me o olhar”.
Convençam-nos a conhecer o espaço: “Dá matéria à forma na Ó! Cerâmica”.

“António Variações” do @alquimista_ceramics é definitivamente uma das peças mais emblemáticas aqui na galeria! 80’s rules! 🧡

Publicado por Ó Cerâmica em Quinta-feira, 23 de julho de 2020

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT