Cafés e Bares

Especialista diz que bares representam maior risco de infeção do que aviões

Um dos argumentos está relacionado com o sistema de ventilação usado em ambos os locais.
O risco é iminente, segundo os especialistas.

Os pubs e bares continuam a ser um dos espaços que mais dividem opiniões. Se há quem diga que são necessários para que a população possa retomar a sua rotina, existem também os que afirmam que o risco de contrair o novo coronavírus é superior nestes locais. Julian W. Tang, professor de ciências respiratórias na Universidade de Leicester, no Reino Unido, diz que o método mais comum de transmissão no Reino Unido é, provavelmente, “por via da conversa”.

“Se o espaço aéreo for mal ventilado, aquele ar que está cheio de vírus não irá para sítio nenhum. Vai ficar lá até que o vírus seque e morra com o tempo”, explica ao jornal britânico “The Independent”. E continua: “Nos bares vai até lá para conversar, vai fazer exatamente o que precisa para transmitir o vírus”, explica.

Questionado sobre se estar num pub ou bar movimentado é semelhante a estar num avião, no que diz respeito ao risco, a resposta foi clara: “É ainda pior porque o avião tem uma ventilação muito boa. Os pubs não têm uma ventilação muito boa.” E foi mais longe: “Se me perguntar se eu prefiro viajar de avião ou ir a um pub, prefiro andar de avião.”

Bharat Pankhania, da Universidade de Exeter , revela à agência de notícias PA que, mesmo depois de um ou dois copos, as pessoas provavelmente serão menos cautelosas.

“O que se faz no pub? Bem, bebe e tem uma conversa. Mas várias conversas num espaço confinado significam aumentar a voz para se ser ouvido”, diz, citado pela mesma publicação. “Portanto, mais gotas significam mais hipóteses de soltar uma gota que eventualmente infete a outra pessoa.É uma tempestade perfeita auxiliada e estimulada pelo álcool, o facilitador”, complementa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT