NiTfm live

Restaurantes

Soão: a taberna asiática que vai ser o novo spot de Alvalade

A inauguração é já esta quinta-feira, 26 de abril. Há pratos de seis países da Ásia, como pho, dim sum, sushi, baos e caril.

Aqui há pratos de seis países asiáticos.

O grupo Sea Me tem um novo restaurante em Alvalade. Depois de um Prego da Peixaria, o grupo estreia um conceito de cozinha asiática, o Soão. Esta aventura levou um dos responsáveis, Rui Gaspar e  Luís Cardoso, o chef da cozinha numa viagem intensiva durante três semanas ao continente asiático: “Visitámos tudo, desde restaurantes de street food a estrelas Michelin”, conta à NiT Rui Gaspar.

Há uns bons meses que o edifício ao lado dos Cinema City de Alvalade anunciava a abertura do Soão. A espera vai acabar esta quinta-feira, 26 de abril. A partir das 12h30 o restaurante vai passar a servir pratos de seis países asiáticos: Índia, Vietname, Coreia, Tailândia, Japão e China. A viagem até à Ásia de Rui Gaspar e do chef Luís Cardoso, que esteve responsável pelas facas do mítico Aya, foi feita em fevereiro de 2017. “Antes de irmos fizemos uma pesquisa exaustiva dos sítios que tínhamos de visitar.”

Daí trouxeram todas as ideias dos pratos que são servidos no Soão e também de toda a decoração do espaço que está distribuído em dois pisos. As madeiras dominam todo o restaurante e foi o que demorou mais a estar concluído no espaço. “Foi um trabalho minucioso, feito à mão”, conta Rui Gaspar.

Assim que entra, o ambiente transporta-o logo para uma taberna asiática. Ao balcão está um aquário com lavagantes e lagostins, ao lado encontra a vitrine com peixes que são usados para o sushi e diversos legumes frescos. Tudo isto é usado na robata. É só num dos 14 lugares do balcão que os pode experimentar. Aqui não há uma carta definida, é tudo feito à vontade do cliente e do chef com os ingredientes que ali estão disponíveis.

Neste primeiro piso existem ainda mesas e cadeiras (no total tem 30 lugares) com o serviço normal da carta do Soão — mas sem a opção da robata. É um néon onde se lê “saké is a drink best served hot” que é convidado a conhecer o piso inferior. Lá em baixo mantém-se as madeiras, mas é tudo num ambiente mais intimista. Ali está a cozinha e quatro salas privadas que podem ser reservadas e onde podem ser servidas entre cinco a seis pessoas.

Kimono, Bambu, Seda e Veludo. Assim se chamam as quatro salas. A primeira é a que tem vista para a cozinha, ou então não — tem um sistema de luzes que lhe permite deixar de ver, ou não, tudo o que se passa junto dos fogões. Em baixo ficam as casas de banho e o balcão do bar onde também a influência asiática está presente.

“O mais difícil de acertar foi a massa dos dim sum”

Vasco Martins é o responsável pela carta de bebidas. Há muitos cocktails reinventados com sabores asiáticos, cervejas orientais — nada de cerveja nacionais —, sakés e até whisky. Com este criaram ainda um ritual, a cerimónia do chá. Uma degustação de chás e whiskys em simultâneo criada por Sebastian Filgueras, da Companhia Portugueza do Chá.

Este ritual não está na carta de bebidas, mas sim nas sobremesas, já que é para ser uma espécie de digestivo. “Fazemos tudo na cozinha, todos os molhos, as massas os baos, é tudo feito aqui”, explica Rui Gaspar e confirma Luís Cardoso. “O mais difícil de acertar foi a massa dos dim sum. Não queríamos que fosse demasiado fina, nem grossa, nem que se sobrepusesse aos sabores que ali colocámos”, explica o chef.

Tanto nas mesas do primeiro piso, como nas salas do inferior, a carta servida é a mesma. Está divida por entradas, como a Keema Samosa, uma chamuça com queijo de cabra, caril e molho de iogurte com menta (7€), as sopas, como o Pho de massa de arroz, rabo de boi cozinhado a baixa temperatura e aromatizado com lima (11€) ou os pães baos, como o recheados com porco desfiado e molho de feijão (7,50€).

Há ainda os dim sum, os tais que foram difíceis de conseguir, como os de champanhe com lavagante e gambas (6,50€), e as sugestões do chef, como o caril verde de frango ou peixe, leite de coco, manjericão, pimentos e lima kaffir (16€). E claro que não faltam as sugestões de sushi e sashimi — quem estiver à frente do balcão pode acompanhar a preparação de todas as peças.

Tudo bons motivos para passar no Soão a partir desta quinta-feira.

Carregue na foto para saber mais sobre o novo Soão.

localização, contactos e horários

morada
  • Soão [ver mapa]
    Av. de Roma 100, 1700-037 Lisboa
    1700-037  Lisboa
    localizações
    Lisboa, Alvalade
site e redes sociais