NiTfm live

Restaurantes

Queimado: o novo restaurante de Lisboa onde todos os pratos são feitos na brasa

Make Bairro Alto Great Again é a campanha do espaço, situado numa das mais famosas zonas turísticas da capital.
A brasa é a rainha.

A filosofia do novo restaurante do Bairro Alto, em Lisboa, é simples: grandes produtos portugueses têm encontros escaldantes com o fogo. Foi com este conceito que nasceu o Queimado, no final de junho, sob o comando do inglês Shay Ola. Há três anos, o chef — que já trabalhou em Londres, Paris e Berlim — veio para Lisboa de férias, encantou-se com a cidade e decidiu ficar. 

Shay Ola, 39 anos, é autodidata e movido a carvão. Formado em design de interiores, começou a cozinhar para os amigos nos tradicionais barbecues de fim de semana. Tomou gosto pelo processo e deu um outro rumo à carreira até a profissão se tornar séria.

“A ideia para o Queimado veio dessa época. Quis capturar este sentimento de cozinhar para os amigos e a essência da churrascada. Queria que fosse um restaurante acessível, onde os portugueses gostassem de ir. O conceito que seguimos é fazer pratos criativos com ingredientes convencionais”, conta à NiT Shay Ola.

Apesar do menu repleto de pratos grelhados, o novo restaurante do Bairro Alto não cheira a fumo. A decoração minimalista e moderna foi feita pela arquiteta e namorada do chef, Hannah Reusser. A sala tem capacidade para 24 pessoas sentadas, mas nas noites de Happy Hour pode fazer o pedido diretamente no bar. Às sextas e sábados, das 23 horas à meia-noite, os cocktails têm um preço diferenciado e custam 5€.

Situado na Rua Luz Soriano, um pouco mais afastado das multidões do bairro, o Queimado quer trazer os portugueses de volta para o Bairro Alto e lançou a campanha #MakeBairroAltoGreatAgain. 

Entre os destaques do menu, estão o alho francês chamuscado com leite de amendôa e migalhas de pão frito (€6); as amêijoas com molho XO e migalhas de pão frito (8€); o bife da aba com molho de morango assado e folhas amargas (9€) e o codorniz com glaze de damasco e puffed arroz selvagem (8€).

“A carta é fixa, mas vai ser alterada de acordo com o que os produtores portugueses podem nos oferecer a cada estação. Adoramos criar pratos diferentes e temos sempre novidades”, explica Shay.

Para a sobremesa, o Queimado sugere mousse de chocolate negro com marshmallow, bolacha de amendoim e cereja (6€), mousse de limão no pão com ameixas escalfadas (6€) e abacaxi grelhado, tonka caramel e gelado de milho chamuscado(5€).

A carta de cocktails do restaurante é um caso à parte. Difícil vai ser provar apenas um. Entre as sugestões, estão o Sweet Papal (9€), feito com Mezcal, milho doce e lima; o Peach Sour (7,50€), feito com Hendricks, pêssego e clara de ovo; e o Pineapple & Cacao Smash (8€), feito com tequila Espolón reposado, infusionado com cacao, Cocchi Blanco e ananás.

Carregue na galeria para conhecer os pratos e os cocktails do Queimado.