Restaurantes

Mercado: a nova cafetaria de Lisboa é digna de chef

Miguel Castro e Silva abriu um novo espaço no hotel The Luminares. Há refeições leves, mas também uma zona de restaurantes, os dois a servirem todos os dias até à meia noite.

No novo Mercado há refeições para todo o dia.

Miguel Castro e Silva desceu ao rés do chão depois de andar nas alturas nos últimos meses. Este verão, abriu um novo Less no topo do edifício da Pollux, com uma vista espetacular sobre Lisboa, e também o Lumni, no último piso do recente The Luminares. Agora, como prometido, as portas do Mercado já estão abertas. Fica no piso 0 do recente hotel — nada de metros muito acima do nível do mar —, serve refeições leves e é ainda uma zona de restaurante com muitos petiscos.

A entrada no novo Mercado faz-se pela Rua São de Alcântara, do lado contrário à recepção do hotel. Assim que chega tem de fazer escolhas — isto antes de olhar para o menu onde as indecisões também serão muitas. Das duas uma: ou vai para a esquerda para a zona de restaurante, com pratos quentes e petiscos; ou para a direita onde fica a zona de cafetaria, com sandes, bolos, sumos e café.

“Isto tem muito a ver com o meu ADN, com petiscos e com muita influência de cozinha portuguesa”, explica à NiT o chef Miguel Castro e Silva. O conceito que trouxe agora até ao Bairro Alto, já o tinha iniciado na cafeteria da Gulbenkian, se bem que noutros moldes. “No jardim é mais self service, aqui, apesar de termos uma ementa idêntica, existe um serviço à mesa”.

Cada um dos espaços, separados por um corredor que dá acesso ao hotel e por portas automáticas, tem à volta de 36 lugares. As grandes portas envidraçadas, que para já estarão abertas, deixam entrar muita luz. “As pessoas podem vir só tomar um café, lanchar, ou fazer uma refeição mais composta. Há opções para todos até à meia noite”.

Para o pequeno-almoço ou lanche, os cafés, os bolos e tartes que mudam todos os dias são boas sugestões. Estão dispostos da vitrine e não temos dúvida que o de chocolate sem farinha será um dos primeiros a desaparecer. Para almoço e jantar, o melhor mesmo são os petiscos e pratos quentes, tudo receitas do chef e algumas que o acompanham nas cozinhas há 20 anos.

Há moelas com molho de tomate (5,50€), iscas do cachaço de bacalhau (7,50€), cogumelos salteados com linguiça e camarão (9€) e morcela com cebola e maçã (5,50€) para petiscar. Também tem o clássico bacalhau à brás (11,50€), o arroz de polvo (11,80€), alheira com espinafres e batata salteada (10,50€) ou a francesinha com carne assada e paio de porco alentejano (12€).

Há uma sopa, um prato de carne ou peixe e uma sugestão vegetariana que mudam todos os dias, e ainda quiches, empadas e saladas — bem dizíamos que a escolha não ia ser fácil. Na área de cafetaria há ainda queijos e enchidos que dentro de umas semanas poderão ser comprados pelos clientes. Para já, são as conservas e vinhos é que estão disponíveis na mercearia.

Carregue na foto para saber mais sobre o novo Mercado.

localização, contactos e horários

morada
  • Mercado [ver mapa]
    Rua São de Alcântara, 33, Lisboa

    1200-470 Lisboa
    localizações
    Lisboa, Bairro Alto
horários
  • Das: 10:00
  • Às: 12:00
Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo