NiTfm live

restaurantes

Há 9 restaurantes portugueses entre os melhores do mundo

A lista tem mil espaços no total e foi coordenada pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros de França.
Foto de Grupo José Avillez.

Ainda na ressaca das estrelas Michelin, chegam mais prémios para os restaurantes portugueses. Há nove espaços nacionais entre os melhores do mundo para a La Liste de 2020, os prémios que foram divulgados esta segunda-feira, 2 de dezembro. Este é um projeto do Ministério dos Negócios Estrangeiros de França que, desde 2015, reúne os mil restaurantes mais bem classificados em mais de 350 mil avaliações de guias online.

A lista tem sempre mil nomes. O Vila Yoya, de Albufeira, é o primeiro a aparecer, seguido do espanhol El Celler der Can Roca. Conseguiu 98 por cento na pontuação final. Em baixo, outro algarvio, o Ocean, em Porches. O espaço tem duas estrelas Michelin desde 2011 e conta com Hans Neuner como responsável pela cozinha.

O Il Gallo d’Oro é outro dos restaurantes no La Liste. Tem 93,50 por cento de avaliação final. Benoît Sinthon chegou à cozinha do restaurante madeirense em 2004 e precisou de cinco anos de trabalho para ganhar a primeira estrela Michelin — que foi também a primeira da Ilha. No guia Michelin de 2017 ganhou a segunda.

Uns lugares mais abaixo está o Belcanto, do chef José Avillez, que era um dos favoritos para ganhar a terceira estrela — conseguiu uma pontuação de 92,50 por cento. Desde maio que o espaço tem uma nova morada, mesmo ao lado da anterior. O Evolução (185€) e o Lisboa (165€), são os dois menus de degustação que pode pedir.

É único com duas estrelas no Funchal.

A Fortaleza do Guincho, que tem o chef Gil Fernandes na cozinha, é o português que se segue. Tem 91 por cento na avaliação. O restaurante do Hotel Fortaleza do Guincho foi inaugurado em 1998 e pela sua cozinha passou Antoine Westermann, que captou a atenção dos inspetores Michelin. Em 2011 conquistou a estrela Michelin que se mantém até hoje.

É em Lisboa que se encontra o próximo espaço nacional do La Liste. O Feitoria, do chef João Rodrigues, ganhou a primeira estrela em 2011, ainda com o chef José Cordeiro. Conseguiu 85,50 por cento na média das avaliações.

A viagem continua pelo Chiado. O Alma, com duas estrelas Michelin, é mais uma presença no La Liste. Desde outubro de 2015 que o restaurante se encontra na Rua Anchieta. Em 2017, Henrique Sá Pessoa conseguiu a estrela Michelin. A segunda chegou no Guia de 2019 e teve uma avaliação de 82,50 por cento.

O chef Henrique Leis tanto pediu que conseguiu mesmo sair do Guia. O restaurante, com o nome do chef, tinha esta distinção desde 2000. Apesar da perda, é um dos espaços referenciados no La Liste. Tem uma avaliação de 77 por cento.

O Ocean fica no Algarve.

O último restaurante português que se encontra nestes prémios é o The Yeatman. Foi com o chef Ricardo Costa no comando que o The Yeatman conquistou a primeira estrela, em 2011, um ano depois da abertura. A consagração chegou com a segunda estrela ganha na edição de 2018 do Guia.

Em primeiro lugar do La Liste ficou o Guy Savoy, de Paris, em França. Na segunda posição encontra o Le Bernardin, o restaurante de Nova Iorque, nos Estados Unidos. O top três é fechado com o Ryugin, no Japão. Os três conseguiram uma avaliação idêntica: 99,50 por cento.

Para a apresentação desta lista foram consideradas mais de 350 mil avaliações de 195 países e 715 guias. É através de um algoritmo criado que se chegou a estes resultados finais. Desde 2015 que o La Liste é sempre apresentado no início de dezembro.