Restaurantes

Fomos almoçar àquele restaurante horrível de “Pesadelo na Cozinha”

A NiT esteve no renovado Pátio Sete, em Lisboa, um dia depois de o espaço ter aparecido no programa da TVI. E foi uma desilusão. Já ninguém se lembra das boas sugestões do chef Ljubomir Stanisic. 

Foto de "Pesadelo na Cozinha"

“Já perceberam que mudámos o nome do restaurante. Chama-se Pátio Sete. O Rio Minho tinha de morrer, vocês são uma nova era.” Foi assim que Ljubomir Stanisic apresentou as mudanças no renovado espaço que foi a estrela do mais recente episódio de “Pesadelo na Cozinha” — onde o chef tenta salvar alguns dos piores restaurantes do País, com dicas para melhorar a qualidade do serviço e da decoração. O programa foi transmitido este domingo, 19 de março, na TVI. No dia seguinte, a NiT foi almoçar ao restaurante de Sete Rios. E, ao contrário do que seria de esperar, as coisas continuam a correr mal por lá.

O grande cartaz com uma colorida sardinha que em baixo tinha escrito Pátio Sete já não faz parte da fachada. Do outro lado da estrada, o restaurante até parecia estar fechado, com a esplanada recolhida e as cadeiras vermelhas empilhadas duas a duas. Falso alarme. Afinal, estava aberto, cheio e com o nome original nos toldos antigos que entretanto foram colocados.

“As pessoas queixavam-se de que não tinham abrigo para fumar. Por isso, colocámos novamente os toldos. E como eles tapavam o cartaz com o novo nome, retirámos também o cartaz [o mesmo que foi feito de propósito pela produção da TVI, por sugestão do chef Stanisic]”, diz-me Eugénia, a dona do restaurante. Tal como já tinha acontecido no programa, o apelido mantém-se um mistério.

Não fiquei muito convencido com a história dos toldos. Três meses desde a reabertura — Ljubomir Stanisic passou por lá no início de janeiro — e não tiveram tempo de mandar fazer novos toldos com o nome Pátio Sete? Muito estranho. Aliás, nem sequer vi nenhuma referência à nova designação no restaurante. No final da refeição, pedi a fatura e vinha com “Rio Minho” (o nome original). A trama adensou-se quando tentei encontrar um contacto do espaço na Internet — uma tarefa impossível. O único número que existe está associado ao Rio Minho e nem sequer está atribuído.

Por lá, tentei perceber qual é afinal o nome verdadeiro e atual do restaurante que fica no número 211, da Estrada de Benfica, perto da Estação de Sete Rios. Mas fiquei na mesma.

“Ainda estamos a ver se conseguimos pôr o Pátio Sete. Já existe um restaurante com este nome”, tenta explicar Eugénia. Esta não foi a única parte da boa herança de Ljubomir que desapareceu daquele cenário.  

“Tenho a certeza de que com esta ementa o restaurante vai ser um sucesso”, disse Elisabete, em “Pesadelo na Cozinha”, a cozinheira que trabalha ali desde a abertura, há 17 anos. Ljubomir deixou de lado os pratos do dia que eram o forte da casa — isso e a falta de higiene — e pediu para começaram a colocar as sugestões diárias na parede de ardósia que está no interior do restaurante.

O chef até deixou fichas técnicas com ingredientes e receitas, mas as ovas de peixe grelhadas com açorda, as favas estufadas com língua de porco, a salada de polvo com batata, a massada de peixe, os corações e miudesas de galinha — tudo pensado por Stanisic — já não estão no menu. Exceção para os ovos mexidos com farinheira. Ainda assim, Eugénia diz que manteve muitas das sugestões que aprendeu com o famoso chef do 100 Maneiras.

“Temos sim, não temos é sempre, vamos mudando. Às quintas estamos a pensar fazer o dia do arroz de pato”. Não fiquei com essa impressão. No tal quadro, reparei que tinha voltado o menu do dia, a 8,50€, um pouco mais caro do que antes, mas com mais qualidade — como consegui perceber junto de alguns clientes neste primeiro dia mediático. A salada de arroz que o chef ensinou Elisabete e Pedro [o empregado do balcão] a fazer, também saltou do menu. Infelizmente.

localização, contactos e horários

morada
  • Pátio Sete (Rio Minho) [ver mapa]
    Estrada de Benfica, 211, Campolide, Lisboa
    1500-102 Lisboa
    localizações
    Lisboa, Campolide
Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo