Restaurantes

Cozinha portuguesa servida em 36 lugares — é assim o novo restaurante de Justa Nobre

Chama-se À Justa e abriu um novo espaço na Ajuda. A sopa de Santola e outros clássicos não faltam, mas também há várias novidades.

Só há lugar para 36 pessoas no novo espaço da chef Justa.

Minutos antes de receber os primeiros convidados ainda se colocavam as últimas placas de madeira de carvalho no bar do novo restaurante de Justa e José Nobre. O À Justa abre oficialmente na próxima segunda-feira, 11 de setembro, mas esta semana já recebeu a imprensa e alguns amigos. A chef Justa volta à Ajuda, bairro onde teve a primeira versão de O Nobre, restaurante que agora está junto da Praça do Campo Pequeno.

“Há 10 anos que fisgava este espaço”, conta a chef. Quando tinha o restaurante no bairro, funcionava uma mercaria no número 107 da Calçada da Ajuda. “Era aqui que vinha às compras sempre que faltava alguma coisa na cozinha.” A mercearia acabou por fechar para começarem a ser servidos petiscos portugueses. A Calçada, assim se chamava o restaurante, também não durou muito tempo e aquele espaço acabou por ficar de portas fechadas durante dez anos.

Reabre agora com o novo projeto da chef Justa e do marido.

“Sempre quis ter um restaurante pequeno e já na altura em que era mercearia quis ficar com ele.” O restaurante esteve em obras durante cinco meses de obras, devia ter sido inaugurado a 21 de abril. 

O tempo foi aproveitado para formar os chefs que vão estar mais vezes à frente da cozinha: Gonçalo Moreno, 28 anos, e André Santos, 27, o sub chef. “Os miúdos estiveram os últimos meses n’O Nobre comigo para entrarem no registo.” Não se preocupe que é provável que encontre a chef no novo restaurante. “Quero continuar ativa, ir para a cozinha, fazer uma sopa e farófias.”

A carta foi criada por Justa Nobre e pelos tais miúdos, como lhes chama. A sopa de santola (11,80€), o caril de caranguejo real do Alaska, (44,80€) e a perna de cabrito assada à transmontana (32,80€) são as especialidades que não podiam faltar — “os clientes matavam-me se não os provassem aqui.” Depois há as novidades, tudo na linha da cozinha portuguesa. Espetadas de gambas ao alhinho (19,90€), atum marinado com salada de agriões (19,90€), ostras gratinadas (6,80€) e ovos com espargos verdes (12,80€), são algumas das opções de entradas.

Nos pratos de peixe tem arroz de marisco para duas pessoas (68,80€) e filete de garoupa crocante (26,80€). Nas carnes há vazia dos Açores grelhada (19,80€) ou um naco de borreguinho (24,80€). Novas são também as sugestões vegetarianas (risotto da horta e salada de vegetais grelhados) e as sobremesas, como o pudim de maçã reineta de Bragança (7€) ou o suspiro de gelado de eucalipto (7,35€).

Além da carta, que irá mudar várias vezes ao longo do ano, há pratos que mudam todos os dias . Uma entrada, uma sugestão de carne, outra de peixe e uma sobremesa vão ser criadas diariamente aos almoços.

O novo À Justa tem capacidade para 36 pessoas. A decoração foi criada por Cecília Santos. “É minha amiga há muitos anos e quando lhe disse que ia abrir um novo espaço quis logo fazer o logotipo. Depois foi dando muitas mais ideias, fez muitos riscos e acabou por fazer tudo.” As placas de madeira que estão no bar, no teto e nas paredes tiveram de ser montadas uma a uma. Os azulejos que estão nas paredes, mas também nos tampos das mesas, foram criados em exclusivo pela Cerâmica Isabel Garcia, uma empresa de Sintra.

O nome parece óbvio, mas só foi escolhido depois de um jantar com José Figueiras no Estoril. “Ele estava no Nobre do Casino com amigos e perguntou-me como se iria chamar o novo restaurante. Disse que tinha de ser qualquer coisa À Justa e ele saiu-se logo com ‘À Justa é lindo’ e ficou.” O apresentador não é a única figura pública que poderá encontrar no novo espaço da chef. “O Presidente Marcelo [Rebelo de Sousa] é o meu maior publicitário. Já disse a muitos políticos que tenho um novo restaurante. Deve vir já na próxima semana.” A apresentadora Fátima Lopes também passou pelo À Justa antes do jantar de imprensa para cumprimentar a chef e entregar-lhe um ramo de flores.

Carregue na foto para saber mais sobre o novo À Justa.

localização, contactos e horários

morada
  • À Justa [ver mapa]
    Calçada da Ajuda, 107, Lisboa
    1300-450  Lisboa
    localizações
    Lisboa, Ajuda
horários
  • Das: 12:15
  • Às: 15:00
  • Das: 19:15
  • Às: 23:00
  • Fecha sábado ao almoço e domingo todo o dia.

ficha técnica

tipo(s) de cozinha
Portuguesa
intervalo de valores
Entre 30€ e 50€
Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo