Restaurantes

BBC diz que a cozinha portuguesa pode ser “a mais influente do planeta”

Um repórter da estação britânica esteve em Portugal para saber mais os peixinhos da horta e revelou toda verdade sobre a tempura japonesa.

Que orgulho.

Com a ajuda dos chefs José Avillez e Olivier, David Farley descobriu mais sobre o prato típico português que veio dar origem à tempura japonesa que agora se come um pouco por todo o mundo. Segundo o jornalista da BBC, os peixinhos da horta não são uma simples receita portuguesa. Na verdade, são “um prato especial” que “mudou o mundo”.

Tudo começou em 1543, quando “um barco chinês com três navegadores portugueses a bordo estava a caminho de Macau, mas mudou o curso e acabou na ilha japonesa de Tanegashima”, começa por explicar o jornalista. Os três portugueses eram António da Mota, Francisco Zeimoto e António Peixoto, que foram os primeiros europeus a chegar ao Japão, numa fase em que este país se encontrava numa guerra civil. Foi por essa altura que começaram a haver trocar comerciais.

Na reportagem da BBC, é contado ao detalhe que os portugueses ficaram em território japonês até 1639. No fundo, até serem banidos pelo governante Shogun Lemitsu, que temia que o cristianismo fosse uma ameaça para a sociedade japonesa.

À medida que seus navios navegaram pela última vez, os portugueses deixaram uma marca indelével na ilha: uma receita de feijão verde envolto em massa polme e frito chamada peixinhos da horta. Hoje, no Japão, chama-se tempura e tem sido um alimento básico da cozinha do país desde então”, explica o jornalista.

Sim, são os tradicionais peixinhos da horta. A BBC conta que eles foram apenas um dos muitos pratos portugueses que serviram de inspiração às cozinhas de outros países.

“Na verdade, a culinária portuguesa, ainda muito ofuscada pelas cozinhas de Itália, Espanha e França, pode ser a culinária mais influente do planeta.”

Entre os restantes pratos que influenciaram o mundo, a BBC destaca a carne de vinha d’alhos, que foi adotada na Índia sob o nome vindaloo, os pastéis de nata que são apresentados como tartes de ovo em Macau e no sul da China, e uma feijoada que, embora seja adaptada, também se come no Brasil.

David Farley falou com o chef Olivier, que revelou a sua receita: “Eu uso uma massa polme de farinha, leite, ovos, sal, pimenta e cerveja.”

Quero sugerir uma alteração ao texto ou enviar uma mensagem ao autor deste artigo