NiTfm live

restaurantes

A Taberna do Mar: há um novo restaurante sem espinhas na Graça

O chef Filipe Rodrigues juntou-se a Hugo Gouveia para inaugurar um novo espaço na cidade. Aqui só há peças de autor preparadas com peixe e muita criatividade.

O niguiri de sardinha é um clássico do chef.

Sardinha, carapau, cavala, choco e lula. Estes são os peixes que estão na base das peças criativas d’A Taberna do Mar, o restaurante que os chefs Filipe Rodrigues e Hugo Gouveia acabaram de abrir na Graça, em Lisboa. Ainda está em soft opening e por enquanto apenas funciona aos jantares de quinta-feira a sábado. O peixe é todo nacional, mas a técnica que usam é japonesa, por isso espere encontrar alguns niguiris e sashimi no menu.

“Há pessoas que têm primeiro o conceito e depois começam primeiro à procura de um espaço. Nós foi ao contrário”, explica à NiT o chef Filipe Rodrigues. Esta é a sexta vez que está na inauguração de um restaurante na zona de Lisboa, todos sempre ligados a uma vertente de gastronomia nipónica. O último por onde passou foi o Rabo d’Pêxe, na Avenida Duque de Ávila. “O Hugo [Gouveia] tem vindo sempre comigo quando abro um espaço, e agora não foi excessão.”

Desde dezembro de 2017 que estão a trabalhar no espaço da Calçada da Graça. Foram os dois chefs que fizeram todas as obras que foram necessárias, até a decoração. “Reciclámos muitos materiais e fizemos todas as pinturas.” Assim que entra no pequeno espaço — só tem capacidade para 23 pessoas — é impossível não reparar na carcaça de atum gigante que faz parte da decoração.

É um atum rabilho que o chef recebeu enquanto estava noutro restaurante de Lisboa. Pesava 160 quilos e mede 2,40 metros. O peixe serviu para várias refeições e pratos especiais. No final o chef ficou com a carcaça, limpou-a, levou um tratamento com verniz e foi pintada de preto. “Durante estes anos esteve no jardim de minha casa e agora está pendurado aqui no restaurante.”

Antes de abrirem e começarem a fase de testes, tinham mais de 40 peças para escolherem e começarem o menu. “Deixámos todas essas ideias de lado e começámos do zero, com várias sugestões simples e criativas.” Os produtos são nacionais a técnica é japonesa e as preparações muito descomplicadas. “Temos uma fritadeira, mas ainda não a usámos. Apostámos mais em comida de tacho, grelha e cozidos ao vapor.”

O niguiri de sardinha é um clássico que acompanha o chef nos vários restaurantes por onde passa. N’A Taberna do Mar também faz parte do menu — duas unidades a 5€. “Os peixes são todos sem espinhas e filetados.” Experimente também o sashimi de peixe bonito fumado (5€), o atum curado (4€), uma espécie de muxama caseira, xerém com choco berbigão e cebola (9€), uma referência ao Algarve, de onde Filipe Rodrigues é natural, ou o arroz malandrinho com cabeça de bacalhau e coentros (9€).

De inspiração asiática tem ainda o bao de alfarroba com carapau seco (4€), dim sum com algas (4€), ou o torricado de sardinha e limão (4€). Fazem também o próprio pão com uma levedura natural feita a partir de maça biológica que veio do quintal do chef e com farinha de espelta integral. Para a sobremesa há leite creme com funcho do mar (4€), ou um pudim de pão com amoras silvestres (4€).

A Taberna do Mar está a funcionar em soft opening deste o início de setembro. É apenas por marcação que consegue ir lá jantar.

Carregue na galeria para saber mais sobre a nova Taberna do Mar.

localização, contactos e horários

morada
  • A Taberna do Mar [ver mapa]
    Calçada da Graça 20B, Lisboa
    1100-266 Lisboa
    localizações
    Lisboa, Graça
site e redes sociais
horários
  • Das: 20:00
  • Às: 23:00
  • Fecha de domingo a quarta.

ficha técnica

tipo(s) de cozinha
Autor, Asiática
intervalo de valores
Entre 20€ e 30€