NiTfm live

Gourmet e Vinhos

Vai abrir mais uma loja da Mercadona em Portugal — e já está a recrutar

O segundo espaço anunciado para 2020 vai ficar em Abelheira, em Viana do Castelo.
A loja da Maia.

A previsão da empresa para 2020 é abrir mais 10 supermercados em Portugal. À primeira loja da Mercadona este ano — que será inaugurada em março na cidade de Aveiro — segue-se agora um espaço em Viana do Castelo, mais especificamente em Abelheira, que ainda não tem data de abertura confirmada.

A empresa já está a recrutar em regimes de part-time e full-time para o novo espaço, com funções como talho, charcutaria, peixaria, pastelaria e padaria, perfumaria, caixas, reposição, fruta e legumes, pronto a comer, limpeza e cargas e descargas. Os interessados deverão enviar o currículo através do site.

É a norte de Portugal que irão surgir todos os novos espaços da cadeia. Por enquanto, não existe um centro logístico a sul que permita a abertura de supermercados noutras zonas do País. Além de Aveiro e Viana do Castelo, as próximas lojas vão abrir em Paços de Ferreira, Trofa, Águeda, Penafiel, Santo Tirso e Ermesinde, além de um segundo espaço em Aveiro.

Todos os novos espaços da Mercadona que vão abrir em Portugal durante os próximos meses serão diferentes dos primeiros que chegaram em 2019. Uma das alterações será no preço dos artigos, que serão mais baixos. “Decidimos reduzir o preço a mais de dois mil produtos”, disse ao “Dinheiro Vivo” Elena Aldana, diretora de relações externas do grupo para Portugal.

Será uma medida que irá abranger as diferentes áreas do supermercado, como bebidas, alimentação, produtos de limpeza, fruta, peixe ou talho. “Continuamos sem uma política de promoções, mas sim de preços sempre baixos todo o ano, dando estabilidade de preço ao consumidor”, continua.

Outra das mudanças nas futuras lojas é a diminuição da área útil. Os primeiros espaços da marca no País contam em média com 1900 metros quadrados e mais de oito mil artigos, tal como em Espanha. Os novos irão apresentar 1600 metros quadrados e cerca de cinco mil artigos. Esta diminuição irá implicar também uma redução no número de trabalhadores — de 85 passa para os 60.

As datas das inaugurações ainda não foram marcadas. Com os 10 supermercados e escritórios que abriu durante 2019, a cadeia espanhola já conseguiu empregar mais de 1100 trabalhadores no País.