NiTfm live

Gourmet e Vinhos

Os insetos comestíveis estão a chegar a Portugal

Gafanhotos, grilos e tenebriões são as espécies que estão a ser desenvolvidas pela indústria especializada.
Os gafanhotos são uns dos mais populares.

Os insetos têm sido descritos nos últimos anos como o grande futuro da alimentação — por causa dos elevados valores de proteína, da falta de recursos para uma população mundial cada vez maior e porque a sua produção é melhor para o ambiente do que a de gado tradicional. Desde 2013 que a ONU tem promovido o debate sobre o tema.

No mundo estima-se que existam duas mil espécies de insetos comestíveis. Em Portugal ainda não há uma lei que permita que sejam vendidos para alimentar pessoas ou mesmo animais, mas a indústria do setor está a investir em três espécies, porque acredita que é uma questão de tempo até à legalização.

Gafanhoto, grilo e tenebrião (a chamada larva da farinha) são as três espécies que estão a ser desenvolvidas em Portugal, mesmo que ainda não possam ser comercializadas. 

O Dia Mundial do Inseto Comestível assinala-se na próxima quarta-feira, 23 de outubro. Para celebrar a data, a Portugal Insect — Associação Portuguesa de Produtores e Transformadores de Insetos organizou uma conferência para sábado, dia 26, na Universidade Nova de Carcavelos. 

Os insetos na alimentação humana, as aplicações culinárias, o enquadramento legal ou os insetos nas ementas das escolas são alguns dos temas que serão abordados. Após a conferência vai haver uma prova de degustação.

Pode provar insetos processados, em forma de bolachas, ou inteiros e cozinhados. Na associação portuguesa discute-se qual será a forma ideal para apresentar os produtos ao consumidor: se desfeitos numa farinha, numa barra ou ao natural.

As dificuldades legais estão relacionadas com as normas da União Europeia. Para serem consumidos, os insetos têm de ser aprovados em dossiês de segurança alimentar — mas nada está fechado por enquanto

Antes de este diploma entrar em vigor, já havia produções de insetos comestíveis na Europa. Portanto, foi aberta uma exceção para esses países, onde é legal vender insetos para comer. Holanda, Finlândia, Reino Unido, Dinamarca, Bélgica e Áustria podem produzir e comer insetos, ao contrário de todos os outros países, incluindo Portugal.