NiTfm live

gourmet e vinhos

Este jovem de Rabo de Peixe quer levar os pratos dos Açores a todo o mundo

Rúben Correia, 22 anos, lançou um livro só com sabores açorianos. Vai ser editado em inglês e apresentado em vários países.
Foto de Rúben Correia/ D.R

Em 2018, Rúben Correia já tinha sido notícia na NiT. Na altura, com 21 anos e a estudar direito Faculdade de Direito, em Lisboa, levou conhecidos chefs a Rabo de Peixe, em São Miguel, nos Açores, até ao Botequim Açoriano, o restaurante que tem com a mãe, Donária Pacheco, desde 2016. Esta sexta-feira, 14 de fevereiro, lançou um livro dedicado aos sabores do arquipélago, ”Comer à Moda dos Açores”, será editado também em inglês e apresentado nos Estados Unidos e no Canadá.

“Esta é a minha carta de amor às ilhas açorianas”, explica à NiT Rúben Correia, atualmente com 22 anos. “É uma homenagem às cozinheiras dos Açores, que não o são de profissão, mas de excelência.” Ao longo dos últimos anos tem recolhido receitas das várias ilhas. “No livro é apresentada sempre uma receita com foto e algum contexto sobre a mesma.”

Em 152 páginas reúne 43 receitas das várias zonas dos Açores, mas não só. “Faço também uma contextualização do arquipélago, falo dos produtos típicos da região, da gastronomia que influenciou outros outros países, e ainda dos lugares e festivais gastronómicos dos Açores. Qualquer festa é pretexto para comer e beber.”

Há ainda espaço para um dicionário com provérbios dos Açores com base em comida. “É o caso de ‘chorar malaguetas curtidas’, que significa lastimar a sorte.” O livro é editado pela Contraponto e está à venda por 17,70€. Rúben Correia vai fazer apresentações em Lisboa, no Porto, em todas as ilhas açorianas, e também em comunidades nos Estados Unidos e Canadá.

Quer trazer o Botequim Açoriano para Lisboa ou Porto.

O Botequim Açoriano, o restaurante que tem em Rabo de Peixe, já era para ter chegado ao continente em 2018. O processo foi atrasado, mas Rúben garante que este ano é certo que será inaugurado em Lisboa ou no Porto.

O ”Comer à Moda dos Açores” não é o primeiro livro que lança. Tinha apenas 14 anos quando editou um romance. Estava escrito desde os 10 e só depois de enviar a várias editoras é que foi aceite.

A história de um miúdo que viaja até à Tunísia não só foi publicada, como foi apresentada por Marcelo Rebelo de Sousa no “Jornal da Noite”, da TVI, onde costumava revelar as novidades das editoras.

O professor veio para uma conferência nos Açores, fiquei à espera que ele passasse para lhe entregar o livro em mãos. Estava nervosíssimo. Leu-o na conferência enquanto os outros falavam e, no final, disse que iria falar dele na TVI”, contou Rúben.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou-lhe o seu email pessoal. Rúben passou a enviar-lhe os títulos de todos os livros que foi escreveu. O último, “Deixa-me Amar-te”, foi apresentado pelo agora Presidente da República na Galeria Abraço, perto da Praça da Figueira, em Lisboa, poucos meses antes de tomar posse.

Aprenda a fazer uma das receitas do novo “Comer à Moda dos Açores”, cedida por Rúben Correia.

Caldo de peixe à moda do Pico

“Esta receita é um bom exemplo das que referi na introdução, havendo na mesma ilha várias maneiras de a fazer. Contudo, esta foi a mais consensual na pesquisa que fiz. 0 caldo de peixe à moda do Pico é uma das receitas mais famosas desta ilha e resulta da extrema riqueza que o mar dos Açores consegue proporcionar. Para se obter um caldo de qualidade, é fundamental termos uma boa variedade de peixes, todos eles com a máxima frescura possível.”

Receita do livro ”Comer à Moda dos Açores”.

Do que precisa

— salsa q.b.

— sal q.b.

— pão caseiro

— 2 quilos de peixe variado

— 3 tomates

— 4 dentes de alho

—1 cebola  grande

Como se faz

Arranja-se o peixe, cortando-o em postas grossas. Limpa-se o tomate de peles e sementes e parte-se em quartos; corta-se a cebola em meias luas e os alhos às fatias. Num tacho largo, põe-se água que se calcule necessária para cozer o peixe e fazer o caldo e juntam-se a cebola, os alhos, os tomates e sal (atenção: no peixe não se põe sal!).

Deixa-se ferver até a cebola e o tomate estarem cozidos. Só nesta altura se mete o peixe, tendo cuidado para cozer e não desfazer. Quando estiver cozido, mas rijo, junta-se-lhe um ramo de salsa, já com o lume apagado. Entretanto, faz-se o molho de salsa para o peixe: num almofariz, põe-se sal, alhos e a salsa picada.

Deita-se para uma tigela onde se acrescentam o vinagre, o vinho e a água, até fazer a quantidade suficiente para, além de temperar o peixe, temperar também as batatas que o acompanham. Retira-se então o peixe para uma travessa e tempera-se com o referido molho. Cortam-se fatias de pão para uma terrina e deita- -se-lhes por cima o molho com todos os ingredientes (tomate, cebola, alhos), mas de modo a que não fique muito empapado.