NiTfm live

Gourmet e Vinhos

Comer em cima de um iPad? Pode fazê-lo neste três estrelas Michelin

O chef Michael Tusk trocou os pratos pelos tablets. Tudo para dar uma nova experiência aos clientes do seu Quince, em São Francisco.

Cão à procura do Ouro

Em 2017 já sobrevivemos a quase tudo. Nem o tsunami hipster que se abateu sobre restaurantes e petiscarias modernas abalou a nossa fé na comida, que vimos chegar às mesas dentro de ténis, em tampas de caixotes do lixo, balanças ou pás. E se acabou de pensar que “já chega”, o chef Michael Tusk dir-lhe-à para se preparar para mais uma experiência que o vai pôr a questionar se definitivamente, os pratos ainda servem para algo mais do que serem estilhaçados num qualquer casamento judeu.

À mesa do Quince, o novo três estrelas Michelin de São Francisco, nos E.U.A., chega uma entrada servida num iPad emoldurado em madeira. Enquanto degusta a amálgama de croquetes de trufa, ricotta, grão-de-bico e alcachofra, na base deste prato é exibido o vídeo de um cão de água Lagotto Romagnolo a escavar freneticamente o chão em busca das tão preciosas trufas, tarefa pela qual é conhecida esta raça. Chama-se “Um Cão à Procura de Ouro” e faz parte do menu de degustação do Quince que custa 220€ por pessoa.

É o próprio chef quem explica a ideia inovadora da apresentação, que só agora foi aplicada a este prato que já faz parte da ementa há dois anos: “O objetivo é simplesmente levar o cliente numa viagem à caça de trufas e depois mostrar o momento em que elas são escavadas do solo.”

Este não é o único prato que usa estas caixas de madeira com iPads. Fora da época da trufa, são os vídeos da apanha da batata que passam nos pequenos ecrãs, a acompanharem um prato feito com o tubérculo, ou imagens de pequenas rãs ao lado de, adivinhou, perninhas da mesma.

A Dog In Search Of Gold

A video posted by rosé (@asap.rozzy) on