NiTfm live

Cafés e Bares

Os pacotes de sumo individuais vão passar a ter palhinhas de papel reciclável

A decisão da gigante Tetra Park terá um impacto no aumento da produção na fábrica em Lisboa.
Nova alternativa no mercado para reduzir o plástico.

A necessidade de reduzir a quantidade de plástico existente no planeta é uma preocupação de cada vez mais empresas. O último exemplo foi dado pela Tetra Park, que antecipou a proibição do parlamento europeu da venda de produtos de plástico de utilização única até 2021.

A empresa sueca criou palhinhas fabricadas com papel reciclável que foram produzidas em volumes limitados. Inicialmente, o formato disponível será o reto e as palhinhas serão fabricadas com papel certificado pelo FCS (Forest Stewardship Council) — um selo de garantia que atesta que a matéria-prima utilizada na produção da embalagem é proveniente de florestas que são mantidas e geridas de forma sustentável.

“Estamos contentes por termos desenvolvido uma palhinha em papel que é completamente funcional e que cumpre com os padrões de segurança alimentar reconhecidos internacionalmente. Este é um passo importante no contexto da nossa visão para a produção de uma embalagem inteiramente produzida com materiais de origem vegetal, contribuindo para uma economia circular com baixas emissões de carbono”, referiu Adolfo Orive, presidente e CEO da Tetra Park.

Nesta primeira fase, o lançamento experimental da palhinha em papel está disponível para as embalagens de cartão de tamanho individual em volumes limitados. A multinacional está a preparar-se para aumentar a capacidade de produção da sua fábrica de palhinhas em Lisboa.

A Tetra Park anunciou também que não pretende pedir a patente desta inovação, o objetivo é incentivar a colaboração industrial entre vários países a partir de uma tecnologia mais verde.