NiTfm live

Viagens

Estes países já estão em 2017 — e a passagem de ano foi incrível

Sidney entrou no novo ano com tributos a Prince, David Bowie e Gene Wilder, na Nova Zelândia estreou-se um relógio novo para a contagem decrescente.

As celebrações de ano novo começaram em algumas ilhas do Pacífico, como Samoa, Tonga e Kiribati. Nesta última, eram 10 horas em Portugal quando os cerca de 400 mil habitantes festejaram a entrada em 2017.

A Nova Zelândia foi a seguir. Quando eram 11 horas em Lisboa, o relógio bateu a meia-noite em Auckland e, da Sky Tower, foram lançados três mil foguetes. O espetáculo durou cinco minutos. Este ano houve duas novidades: uma exibição de laser e um relógio novo para fazer a contagem decrescente.

Duas horas depois, mais precisamente quando eram 13 horas em Lisboa, foi a vez de Sidney. O espetáculo de fogo de artifício durou 12 minutos e iluminou os céus com 120 cores diferentes, perante uma audiência de 1,5 milhões de pessoas

Curiosamente, umas horas antes já se tinha feito uma contagem decrescente na cidade. Este ano, as celebrações de ano novo começaram três horas mais cedo, a pensar nos miúdos que precisam de ir para a cama antes da meia-noite. Às 21 horas, a Ópera de Sidney e a Harbour Bridge receberam fogo de artifício e uma contagem decrescente, num espetáculo que durou oito minutos.

As duas celebrações juntaram contaram com sete toneladas de fogo de artifício, incluindo 100 mil efeitos pirotécnicos individuais. Foi o maior espetáculo do género alguma vez realizado na cidade australiana.

A pensar nos artistas que morreram em 2016, as celebrações de ano novo prestaram homenagem a algumas lendas da música como David Bowie e Prince. Chuva roxa e muitas estrelas foram lançadas para o céu, mas também se “ouviu Space Oddity”, de Bowie, e “Purple Rain”, de Prince.

Durante o tributo para famílias, antes da meia-noite, também se ouviu a música do filme “Willy Wonka e a Fábrica de Chocolate”, em homenagem a Gene Wilder.

Quando eram 15 horas em Lisboa, foi a vez do Japão, Coreia do Sul e algumas partes da Rússia e Indonésia celebrarem a chegada do novo ano. Em Hong Kong aconteceu, como já é habitual, uma das maiores celebrações da Ásia. O espetáculo durou dez minutos e teve lugar no porto Vitória.

As ilhas Outlying vão ser as últimas a entrar em 2017, mais precisamente às 12 horas de domingo, hora de Lisboa. Curiosamente, estas ilhas estão a apenas 80 quilómetros de Samoa, as primeiras a entrar no ano novo.